Uma das personalidades mais poderosas da música, a cantora Beyoncé, completa 38 anos nesta quarta-feira (04) com uma carreira baseada no talento e na postura política.

Em vista da comemoração, listamos alguns momentos importantes da trajetória da musa. Confira:

Beychella

Beyoncé foi a primeira mulher negra a ser atração principal no festival Coachella. A apresentação reuniu as Destiny’s Child, seu antigo grupo, e contou com participações da família: o marido, Jay-Z; e a irmã, Solange.

Além de fazer um tributo à diva Nina Simone, a estrela ainda citou um texto de Malcom X, um dos líderes do Pantera Negra. A performance foi tão memorável que ganhou o apelido de Beychella. A Netflix lançou, no início deste ano, o documentário “Homecoming“, que mostra o show e os bastidores do evento.

Divindade no Grammy

Em 2017, a apresentação de Beyoncé foi um dos momentos mais aguardados do Grammy. Esse foi o primeiro show da cantora após anunciar a segunda gravidez. A americana subiu ao palco após ser apresentada pela própria mãe, Tina Knowles, que elogiou a filha.

Desde do início da sua carreira no Destiny’s Child, a cantora obteve 63 indicações ao Grammy. Ela é a artista mulher com maior número de indicações na história da premiação.

Rainha do Spotify

A diva tornou-se, em 2018, a primeira mulher com três álbuns que superaram um bilhão de streams no Spotify: “4“, “I am… Sasha Fierce” e “BEYONCÉ“. Curiosidade: ela atingiu o marco mesmo sem ter sua discografia completa na plataforma, e com um dos seus maiores trabalhos, “Lemonade“, disponível apenas no Tidal.

Anúncio da primogênita

Na cerimônia do MTV Video Music Awards, em 2011, a estrela subiu ao palco para uma performance emocionante. Ao som do hit “Love On Top“, a cantora anunciou a sua primeira gravidez. Sua filha Blue Ivy nasceu em 7 de janeiro de 2012, fruto da união de Beyoncé com Jay-Z.

Intervalo no Super Bowl

Em 2013, Beyoncé fez uma apresentação histórica na final do campeonato de futebol americano. Já em 2016, na comemoração dos 50 anos da competição, a atração principal do intervalo era a banda Coldplay, mas a diva roubou a cena. A apresentação focou no empoderamento para negros e feministas.

Foto: Getty Images