Aconteceu, na última terça (14), a abertura da quarta edição da Ceará Fashion Trade, no Centro de Eventos do Ceará. A feira setorial de moda que envolve a cadeia produtiva dos setores têxtil e de confecção em uma programação diversa, com desfiles e painéis interativos para discutir o futuro do mercado, abraçou o tema da sustentabilidade em seu 1º dia de evento.

Francisco Esteves, diretor administrativo adjunto da Federação das Indústrias do Estado do Ceará, representou o presidente Beto Studart na solenidade de abertura do evento, e destacou a grandeza dos setores têxtil e de confecção, por gerarem cerca de 110 mil empregos formais. “Estes números mostram a força do segmento no Estado, mas principalmente, uma vocação natural de nossa gente para produção da moda”.

Vimos por lá: Brigida Frazão e Diana Carneiro

Logo após, foi realizado o painel “Como driblar os desafios e inovar nos setores têxtil e de confecção”. A discussão, mediada por Lélio Matias, presidente do Sindroupas, e Rafael Cabral, presidente do Sinditêxtil, teve como convidados Élcio Batista, além de Marcelo Ramos, assessor da Diretoria do SENAI CETIQT; Renato Jardim, superintendente de Políticas Industriais e Econômicas da Abit; Paulo André Holanda, diretor Regional do Senai Ceará; e Jairo Amorim, diretor Industrial da Guararapes.

A palavra mais discutida na conversa foi sustentabilidade. “Não dá para falar de inovação e também não dá para pensar a nossa sociedade no mundo sem falar de sustentabilidade de forma ampla, ou seja, tocando em todos os setores”, declarou Élcio.

Jairo Amorim destacou o compromisso da Guararapes Confecções com a consciência verde. Há alguns anos, a empresa criou um departamento especializado no cuidado com o destino dos resíduos gerados na indústria têxtil e de confecção. A Guararapes exige que os compradores desses resíduos estejam registrados em órgãos ambientais e produzam um subproduto dos materiais. “Essa geração de hoje não vai comprar seus produtos se você tiver um tratamento desprezível com os materiais que são oriundos do nosso negócio”, justificou.

A programação do 1º dia de Ceará Fashion Trade encerrou com a 10ª edição do Concurso Ceará Moda Contemporânea, que anualmente premia novos talentos da moda local nas categorias de Design, Costura e Modelagem. Na ocasião, oito finalistas da categoria de Design apresentaram suas coleções autorais em um desfile bem regionalista, a partir do tema “Sustentabilidade é moda no Ceará”.

Concurso Ceará Moda Contemporânea movimentou Centro de Eventos no final do dia

Esron Candeia levou o 1º lugar no concurso na categoria Design com a coleção “Fragile Blue”. Inspiradas na obra do artista britânico Ian Berry, as peças repensam o jeans a partir de processos artesanais, com a utilização de rejeitos da indústria têxtil, e também com a prática de upcycling. Também foram premiados: Carlos Joaquim Andrade de Castro (2º lugar) e Nathaniel Brito Nogueira (3º lugar).

Esron Candeia recebe troféu. Na foto, aparece também o estilista Ivanildo Nunes. Revelação da 1ª edição do concurso, ele foi um dos jurados da edição de 2019. Foto: Divulgação

A Ceará Fashion Trade é apresentada pelo Sistema FIEC e pelo Sebrae/Ceará e realizada em parceria com os sindicatos industriais da moda no Ceará – Sindroupas, Sindconfecções e Sinditêxtil.

Veja mais fotos da feira, por Eri Nunes: