Márcia Travessoni – Eventos, Lifestyle, Moda, Viagens e mais

Entre em contato conosco!

Anuncie no site

Comercial:

comercial@marciatravessoni.com.br
Telefone: +55 (85) 3242 0333

Redação:

conteudo@marciatravessoni.com.br
conteudo1@marciatravessoni.com.br

Com curadoria de Max Perlingeiro, “Estética de uma Amizade” está em cartaz na Pinakotheke São Paulo

27 mar 2019 | Notícias

Por Lucas Magno

A exposição Estética de uma Amizade“, que entrou em cartaz na última segunda-feira (25), na Pinakotheke São Paulo, conta a história da amizade entre o pintor Alfredo Volpi e o escultor Bruno Giorgi.

Com curadoria do cearense Max Perlingeiro e de Pedro Mastrobuono, a mostra reúne 110 obras, incluindo algumas inéditas, entre pinturas, desenhos, esculturas e maquetes. Elas foram cedidas pela Coleção Leontina e Bruno Giorgi e por alguns colecionadores que concordaram em ceder para exibição. 

Leontina, aliás, viúva de Giorgi, abriu os arquivos pessoais e concedeu longas entrevistas rememorando fatos históricos e pessoais, muitos dos quais presenciados por ela, o que tornou possível a estruturação da exposição. Ao todo, foram necessários 10 anos para construir a mostra.

No raro conjunto de numerosas pinturas de Volpi, esculturas, desenhos e telas de Giorgi, sobrepõem-se as obras surgidas de relações de amizades ou familiares, como os retratos de Mira Engelhardt e Gilda Vieira, feitos por Volpi, além de Judith, sua mulher, retratada por ele, e um desenho dedicado à sua única aluna Lore Koch; o retrato de Leontina Giorgi, as joias/esculturas projetadas por Giorgi; nus femininos assinados pelos dois artistas; retrato de Giorgi por Volpi e as cabeças de Volpi e Mario de Andrade esculpidas por Giorgi; as interpretações discordantes do poema Balada de Santa Maria Egipcíaca de Manuel Bandeira, que ambos fizeram em pintura; e até uma série de trabalhos concebidos na convivência da dupla. Há também as maquetes das obras de Brasília, quando os afrescos de Alfredo Volpi e as esculturas de Bruno Giorgi sublinharam a arquitetura de Oscar Niemeyer. 

“Volpi e Bruno criam obras dentro de um mesmo diálogo e eles tiveram a possibilidade de criar quase que uma sinfonia, uma linguagem visual uma pintura e uma escultura, eles não mediram esforços. É quase como um querendo homenagear o outro. Quer dizer, uma pintura homenageando uma escultura, um escultor homenageando um pintor”, contou Max, em entrevista ao “Jornal Nacional”.

“Estética de uma Amizade” segue em cartaz até o dia 25 de maio, de segunda a sexta-feira das 10h às 18h e aos sábados das 10h às 16h.

Publicidade

VEJA TAMBÉM

Publicidade

PUBLICIDADE