São Paulo é uma cidade cosmopolita“. Certamente essa frase já chegou aos seus ouvidos ou na sua leitura, de alguma maneira. Pudera, o turbilhão cultural que o lugar carrega surpreende até os mais acostumados a viagens inusitadas. Embora esteja associada ao seu trânsito caótico e à correria profissional, a metrópole guarda em cada esquina – literalmente – um novo point, uma neoexperiência de impacto, seja artístico, seja gastronômico, sensorial ou até mesmo emocional. É impossível que São Paulo esteja do mesmo jeito desde que você a deixou. As coisas por lá estão em constante movimento e a vivência resulta sempre inédita.

O cearense Jackson Araújo escolheu a capital para morar em meados da década de 90 e coleciona tantos momentos marcantes, que daria uma grandiosa enciclopédia de dicas imperdíveis. Atento que só ele, curioso como poucos e faminto por novidades, Jackson continua fazendo questão de desbravar cada pedacinho da cidade da garoa. Para o Site MT, o trendsetter listou 6 hotspots que unem personalidade, ousadia, caminhos economicamente afetivos e bastante estilo, a la SP. Estilo que, inclusive, ele tem de sobra nos seus textos e no seu modo de compartilhar conhecimento. Pega seu celular, faz print das dicas e só vai!

Bar e Restaurante Orfeu   

Apesar de alguns restôs estarem bem estabelecidos no Centro, de uns anos para cá a região vem sendo revitalizada com a abertura de vários pontos incríveis. O Orfeu é um deles. “Fica próximo do edifício Copan, com mesas na calçada. Dia de sábado, ali, vira uma prainha. Os preços são legais, o atendimento é maravilhoso”, comenta. E detalhe, o menu é para todos os gostos. “Você pode comer um baião de dois cearense, uma moqueca, tem comida veggie. Ou seja, tem um charme de ser comida brasileira, mas sem essa pegada de comida design. A proposta é muito interessante”. O Orfeu ainda revela surpresas. “No andar de cima tem uma pista de dança que, às vezes, tem DJ tocando”.

Foto: Paulo Cuenca

Foto: @orfeuorfeu

 Fiel Discos

Que tal uma loja de discos com aquele perfume retrô que todo mundo adora, e curadoria assinada pelo produtor musical, baterista e DJ Ricardo Athayde? Essa é a proposta da Fiel Discos. “A loja acabou de abrir. Fica na região do Largo da Batata. O Ricardo tem um olhar muito especial no garimpo de vinis, tanto vintages classudos, como também de vinis contemporâneos. Tudo com muita qualidade, acabamento, nada arranhado, discos bem cuidados. Um lugar que tem uma pesquisa musical assertiva”, revela Jackson, um amante irrepreensível de música.  

Foto: @fieldiscos

Void General Store

Uma revista que virou festa, que virou show, que virou festival de filme, que virou loja. Os amigos Pedro Hemb, Ricardo Mohr, Bruno Tellechea e João Francisco Hein transformaram uma simples idéia em todo um lifestyle de sucesso. Impulsionando o contexto de espaços coletivos e multitask, a Void da R. Martim Carrasco também é bar e lanchonete, virando ponto de encontro de jovens em busca de puro astral. A marca também tem seu estabelecimento em Porto Alegre e Rio de Janeiro, mas o que está localizado em Sampa é o mais grandioso. 

Foto: The Summer Hunter

Verniz

A loja Verniz é um projeto de Paulo Bega, Fábio Matheiski e Luciano Tartalia e o que começou como um galpão de 400 metros quadrados instalado no centro de São Paulo cresceu e apareceu. A segunda store inaugurou em uma das ruas mais efervescentes de São Paulo e Jackson adora. “O lugar é muito interessante e inspirador pra você que tem interesse em curadoria de móveis vintage. Os sócios são três ex-modelos que fazem compras de lotes de casas que seriam demolidas e selecionam peças que, às vezes, passariam despercebidas por olhares de pessoas que fazem curadoria de brechós. Os meninos catam placas de ferro, estruturas de metal… Tudo lindo e bem exposto. A loja fica na Rua da Consolação e vale a pena uma visita”.   

Foto: @vernizsp

Foto: @vernizsp

Basico.com

Quando Daniel Cunha criou o Básico.com, ele queria uma empresa que (re)colocasse o produto como razão de ser do negócio. Deu muito certo. “A Basico tem a prática muito interessante de promover essa convergência do varejo online e offline. Só vende online e entrega no mesmo dia. Mas se você for em um dos pontos de contato, é possível experimentar as peças, que estão todas disponíveis no site, e recebê-la em casa algumas horas depois. As camiseta são todas feitas em algodão Pima, com um acabamento maravilhoso. Você lava e ela não fica torta. A Dedé Bevilaqua cria toda a parte de camisetas, linho, brim e jeans fazendo básico com estrutura de alfaiataria”, revela Jackson, que é amigo do fundador e CEO da marca.

Foto: @soubasico

ÀLG

“É a segunda marca da À La Garçonne, do Alexandre Herchcovitch. Uma linha mais dedicada ao streetwear, tudo feito com aquela pegada do Alexandre de design de moda rua. Muito interessante. Eles só trabalham com tecido parado em estoque, mas diferente da marca mãe, que tem peças mais exclusivas, o Ale disponibiliza mais opções na ÀLG. A loja fica na região de Pinheiros e é super descolada. Recomendo visitar, porque coloca a gente em contato com um novo olhar sobre o streetstyle, streetwear e skatewear“.

Foto: Divulgação

LEIA TAMBÉM: Comer bem em Paris: personalidades indicam seus restaurantes preferidos

#Lifestyle