logo

DFB Digifest: segundo dia tem moda beachwear, peças inspiradas na natureza e desfile coletivo

Por Redação
DFB Digifest: segundo dia tem moda beachwear, peças inspiradas na natureza e desfile coletivo
O estilista Vitor Cunha mostrou uma coleção que celebra o equilíbrio entre o homem, a natureza e o conhecimento (Foto: Igor Cavalcante)

O segundo dia de desfiles virtuais do DFB Digifest, que acontece até sexta-feira (31), no canal do YouTube do evento, foi marcado pela fusão de ideias e expressões de diferentes designers. Moda beachwear (moda praia), peças inspiradas na natureza e valorização da renda, foram alguns aspectos observados na passarela. O evento virtual contou com os desfiles do Coletivo composto pelos estilistas Bruno Queiroz, Gisela Franck e Bikiny Society; e dos estilistas Vitor Cunha e Almerinda Maria.

A ação tem o objetivo promover a moda autoral, renovando e incentivando o trabalho e a autoestima de criadores e marcas neste momento de impactos da pandemia. A transmissão iniciou com o desfile do Coletivo composto por três estilistas.

LEIA MAIS >> DFB Digifest apresenta desfiles virtuais com foco na moda autoral; estilistas falam sobre processo criativo

Confira a programação de desfiles do DFB Digifest

Bruno Queiroz trouxe ao público a coleção “Entrelaço”, com silhuetas abstratas, evocando a substância do sentimento amor. Com tecidos como tafetá, sanjan e shantung, as peças apresentam volumes e cores que arrebatam corações.

Coleção de Bruno Queiroz (Foto: Igor Cavalcante)

Gisela Franck apresentou uma coleção atemporal, leve, minimalista, comercial e inspirada na natureza. Em tons crus, contou com tecidos em 100% linho puro, que está no DNA da marca.

Coleção de Gisela Franck (Foto: Igor Cavalcante)

Completando o trio, Bikiny Society apresentou peças na coleção “Pura Vida“, que conta a história de caminhos percorridos entre praias paradisíacas da Costa Rica, cachoeiras sem fim, trilhas mágicas entre selva, montanha e florestas.

Coleção Bikiny Society (Foto: Igor Cavalcante)

O estilista Vitor Cunha mostrou uma coleção que celebra o equilíbrio entre o homem, a natureza e o conhecimento. Em uma cartela de tons azuis, inspirada na chuva e nos rios, ele apresentou peças convencionais, como shorts, calças de modelagem comfort e camisas sem manga, quanto em viés de macramês. 

Coleção de Vitor Cunha (Foto: Igor Cavalcante)

Finalizando a transmissão, Almerinda Maria apresentou a coleção “Calmaria”, com cores clássicas de suas coleções anteriores como branco, off white e o nude, mesclando com os tons de rosa pó, verde menta e azul oxigênio. Outro destaque do desfile foram as máscaras de proteção, com um mix de rendas – renda renascença, renda francesa, bordado Richelieu, marca registrada da Almerinda Maria.

As gravações dos desfiles aconteceram nos dias 18 e 19 de julho, na F3 Produções, cumprindo todos os protocolos de segurança para o casting de modelos e as equipes de produção, beleza e técnica. Para mais informações, acesse as redes sociais do evento.

Veja também