Distribuídos em um stand de 100m², mais de 3.000 trabalhos de artesãos cearenses cadastrados na Central de Artesanato do Ceará se destacam na programação do 11º Salão do Artesanato, em São Paulo. O evento, que inicia nesta quarta (7) e segue até o dia 11, deve receber mais de 60 mil visitantes no Expo Center Norte.

A estimativa é que cerca de 2 mil artesãos de todas as regiões do Estado sejam beneficiados com a comercialização das peças disponíveis no evento, à base de areia colorida, fibras vegetais, madeira, papel, metais, fios, argila e tecidos como renda de bilro, labirinto, filé, tecelagem, crochê e bordado, dentre outros.

Além da venda de produtos, seis mestres artesãos cearenses participam do evento realizando trabalhos em tempo real produzindo materiais com a renda de bilro, tecelagem e bordado a mão.

De acordo com a coordenadora do Programa de Desenvolvimento do Artesanato do Ceará, Amanaci Diógenes, é importante que o artesanato cearense esteja presente em feiras do segmento, pois valoriza nossa arte. “O Estado do Ceará é hoje uma referência nacional, com um diferencial na implantação de política pública bem-sucedida para o segmento artesanal. Estar presente em feiras locais, nacionais e internacionais, mostrando nossa arte, nossa cultura, é fundamental para divulgar o artesanato cearense”, aponta.

Economia criativa em números
Estima-se que, até setembro de 2018, as vendas do artesanato cearense renderam mais de R$ 1,3 milhão, com 41.354 peças vendidas e 17.032 artesãos beneficiados. Ao incentivar a prática como atividade econômica sustentável, o governo estadual valoriza a identidade cultural da nossa terra e se integra à cadeia produtiva local.

Foto: Alessandro Dias / Salão do Artesanato