Nesta terça-feira (15) é celebrado uma data das profissões mais importantes que temos no mundo: o Dia do Professor. Pouca gente sabe, mas a data no Brasil começou em 1947, através do professor de São Paulo Salomão Becker. Surgiu com a ideia de reunir um grupo de professores para um dia de confraternização e descanso, visto que esses profissionais possuíam poucos dias de férias.

A data escolhida não foi por acaso, foi no dia 15 de outubro de 1827, que D. Pedro I criou o Ensino Elementar no Brasil. Pelo decreto, “todas as cidades, vilas e lugarejos tivessem suas escolas de primeiras letras”. O decreto, que não chegou a ser cumprido na época, falava sobre itens como descentralização do ensino, o salário dos professores, as matérias básicas que todos os alunos deveriam aprender e até como os professores deveriam ser contratados.

Um registro do professor Salomão Becker, que faleceu em 2006

Voltando para o ano de 47, a confraternização do professor Salomão acabou se estendendo para outras escolas e cidades, até ser oficializada como feriado escolar em todo o país em 1963, por meio do Decreto Federal 52.682, que diz: “Para comemorar condignamente o Dia do Professor, os estabelecimentos de ensino farão promover solenidades, em que se enalteça a função do mestre na sociedade moderna, fazendo participar os alunos e as famílias”.

SALOMÃO BECKER

Uma de suas frases mais famosas é perpetuada até hoje diz: “professor é profissão. Educador é missão”. Becker era filho do imigrante David Becker, que, em 1913, deixou a Moldávia, no Leste Europeu, rumo ao Brasil, indo parar em Piracicaba. Foi lá que ele nasceu e passou boa parte da juventude, até decidir estudar Filosofia na USP. Após anos e anos ensinado em diversas escolas paulistas, nem a aposentadoria o fez parar. Com mais de 60 anos de idade prestou vestibular e cursou Direito na Universidade Presbiteriana Mackenzie. O professor Salomão Becker faleceu aos 84 anos de idade, em 2006.