A Agência Nacional de Aviação Civil realizou, na manhã desta sexta (15), na Bovespa, em São Paulo, leilão para administração, ampliação e exploração do bloco Nordeste, composto pelos aeroportos de Juazeiro do Norte, Recife, Aracaju, Maceió, João Pessoa e Campina Grande. A empresa que arrematou o leilão pelo valor de R$ 1,9 bilhão foi a espanhola Aena Desarrollo Internacional.

Pelos próximos 30 anos, a companhia vai ser a concessionária do Aeroporto Orlando Bezerra de Menezes, em Juazeiro do Norte. O equipamento cearense vai receber um investimento da ordem de R$ 193,5 milhões em obras de ampliação e manutenção.

Quem acompanhou o leilão de perto foi o governador Camilo Santana. De acordo com o chefe do executivo estadual, a notícia irá impulsionar o crescimento para a região em termos de voo, oportunidades e investimentos. Durante a ocasião, chegou a afirmar não ter dúvidas de que o aeroporto se torne um “grande centro de conexão regional do Nordeste”.

Pensando no futuro, o governador se comprometeu a realizar uma série de ações na região, como a ampliação do anel viário da cidade até o aeroporto para melhorar o acesso no entorno, além da construção da Arena Romeirão e do teleférico do Horto do Padre Cícero.

Mudanças

Entre as transformações pelas quais o equipamento irá passar, está garantido na concessão o aumento do terminal de passageiros em 200% nos próximos 15 anos, chegando a 7,5 mil m² até 2034, ano em que a primeira fase da concessão é concluída. Outra ampliação de 10 mil m² deve ser colocada em prática na outra metade da concessão. Já a pista, vai passar de 1.800m para 1.938m, com 45m de largura.

O pátio de aeronaves também será ampliado e o aeroporto receberá melhorias na segurança operacional nas pistas de pouso e de táxi, bem como nos pátio. O projeto prevê ainda uma estrutura com quatro pontes de embarque, totalizando 12 posições de aeronaves.

A previsão é de que, nos próximos 15 anos, 1,4 milhão de pessoas passem pelo terminal, um aumento de 138% em relação aos dados de 2016 (590,7 mil). Após 30 anos, esse número deve crescer para 2,8 milhões de passageiros por ano. Tendo isto em vista, será construído um novo sistema viário de acesso, incluindo estacionamento. As obras devem começar em 2020.

Fotos: José Wagner e Nívia Uchoa