logo
X

Plataforma que sintetiza dados de violência contra a mulher é lançada em Fortaleza

Por Redação
Plataforma que sintetiza dados de violência contra a mulher é lançada em Fortaleza
A Prefeitura de Fortaleza investiu R$ 18 mil no portal, que foi desenvolvido em parceria com Unifor, Citinova e Iplanfor. (Foto: iStock)

A Prefeitura de Fortaleza lançou, na última segunda-feira (9), Observatório da Mulher de Fortaleza, portal criado com o objetivo de mapear as regiões onde mais ocorrem casos de violência doméstica, familiar e sexual contra o gênero feminino a fim de que se desenvolva políticas públicas e combater essa realidade.

De acordo com a titular da Coordenadoria de Políticas Públicas para as Mulheres, Natália Rios, a ideia do projeto surgiu há um ano, a partir do momento que ela percebeu que não conseguia mensurar os resultados dos trabalhos desenvolvidos pela instituição. “Comecei a idealizar algo que fizesse isso, aí pense na plataforma, que é alimentada diariamente pela socióloga Cora Martins”.

LEIA MAIS >> Conheça trajetória de mulheres que fazem história no Ceará

‘Mulheres Extraordinárias’: Fernanda Pacobahyba faz história na Sefaz/CE

Quando uma mulher procura a instituição, explica Natália Rios, ela preenche uma ficha cadastral. As informações são transformadas em dados. Há como saber, por exemplo, o tipo de violência sofrida, o nível de escolaridade que ela tem, se trabalha formalmente ou não. Isso, destaca a titular da pasta, viabiliza uma parceria maior com outras secretarias, pois é feito um “mapa de calor” de lugares onde há mais ocorrências desse tipo.

“Um ferramenta de gestão e de controle social que ajuda a criar e aprimorar a política pública. É algo inovador. Nossa plataforma é a única do país que é alimentada por dados coletados por nós, da Coordenadoria de Mulheres, o que torna extremamente fidedigno”, destaca Natália Rios.

Para ela, o site é muito além do que uma ferramenta de gestão, de controle de dados e de transparência. No futuro, conta, as informações e os dados contidos servirão para estudos acadêmicos e científicos. “Fortaleza vai conhece amiúde a realidade do gênero feminino daqui”.

O Observatório da Mulher teve um investimento de R$ 18 mil da Prefeitura de Fortaleza. Natália Rios explica que o valor serviu para pagar os profissionais de Tecnologia da Informação que desenvolveram a plataforma, que foi realizada com a parceria com a Universidade de Fortaleza (Unifor), com a Fundação de Ciência, Tecnologia e Inovação (Citinova), e com o Instituto de Planejamento de Fortaleza (Iplanfor).

Veja também