Programa Mais Infância Ceará agora é política pública do Estado

Por Lucas Magno
Programa Mais Infância Ceará agora é política pública do Estado

Um programa que veio transformar a vida daqueles que mais precisam. Assim é o Mais Infância Ceará, programa estadual de assistência e acompanhamento familiar que desde 2015 tem transformado a vida das crianças nos 184 municípios cearenses.

Nesta sexta (22), as ações do projeto se tornaram oficialmente política pública do estado com a sanção da lei do Programa Mais Infância Ceará, em solenidade no Palácio da Abolição comandada pelo governador Camilo Santana.

A iniciativa faz parte do programa idealizado e coordenado pela primeira-dama do Estado, Onélia Santana, que pretende dar continuidade às atividades. “A partir de hoje a iniciativa ganha novo patamar de atuação com garantias de continuidade, já que a regulamentação resguarda as conquistas já realizadas. Obrigada a todos que contribuíram com o programa, a todos as instituições parceiras e aos municípios”, comemorou Onélia em postagem no Instagram.

Para Camilo Santana, este foi “um dia especial, porque olhar para as nossas crianças é olhar pro futuro do nosso estado”, ressaltou.

Atuando nos eixos Tempo de Crescer, Tempo de Brincar, Tempo de Aprender e Tempo de Nascer, o programa Mais Infância Ceará desenvolveu diversas ações como o Cartão Mais Infância, os Núcleos de Estimulação Precoce, Brinquedopraças, Praças Mais Infância e Praia Acessível, entre outros.

Em cinco anos de programa, a Universidade Federal do Ceará foi uma das grandes parceiras, pois ajudou a construir a iniciativa e contribuiu ativamente na implantação dos Núcleos de Estimulação Precoce em 19 policlínicas do Ceará para atendimento de crianças com desenvolvimento tardio.

“Nós muitas vezes queremos que tudo aconteça muito rapidamente, mas os resultados do que está sendo feito hoje no estado do Ceará daqui a 15, 20 anos certamente nós vamos ver as diferenças, porque é um olhar concentrado naquilo que é mais importante que é a primeira infância”, enfatizou a pró-reitora de extensão da UFC, Márcia Machado, em comentário concedido ao site oficial do Governo do Estado do Ceará.

Números

Gráfico concentra dados sobre o Mais Infância Ceará. Fonte: Governo do Estado do Ceará

Os números surpreendem. Em cinco anos de aplicação, o Mais Infância Ceará capacitou cerca de 17 mil profissionais nas áreas de saúde, educação e assistência. Até o final deste semestre, mais 5 mil agentes comunitários de saúde serão qualificados em curso sobre desenvolvimento infantil.

O Cartão Mais Infância, que garante auxílio de R$ 85 para famílias em vulnerabilidade social com crianças de 0 a 5 anos e 11 meses, beneficia mais de 50 mil famílias.

Foram feitas mais de 1,1 milhão de visitas domiciliares, por meio do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Infantil, Programa Primeira Infância no SUAS/Criança Feliz e Programa de Apoio ao Crescimento Econômico com Redução de Desigualdades e Sustentabilidade Socioambiental. Até fevereiro, foram assistidas cerca de 50 mil famílias, sendo 51.842 crianças e 9.429 gestantes.

Em parceria com o Sesc Ceará, foi implantado o Espaço Mais Infância, que atendeu 125 mil crianças e 21 mil pais visitantes e outros participantes. O local comporta brinquedoteca, biblioteca infantil, sala de multimídia, cozinha gourmet e cineminha.

Quando o assunto é cultura, o Mais Infância Ceará tornou possível o primeiro edital cultura infância, que selecionou 25 projetos com um investimento de R$ 1 milhão. O projeto veio garantir o direito da criança à cultura e à arte.

Fotos: Carlos Gibaja e Marcos Studart 

Veja também