Márcia Travessoni – Eventos, Lifestyle, Moda, Viagens e mais

Entre em contato conosco!

Anuncie no site

Comercial:

comercial@marciatravessoni.com.br
Telefone: +55 (85) 3242 0333

Redação:

conteudo@marciatravessoni.com.br
conteudo1@marciatravessoni.com.br

Turismo espacial: quanto custa uma viagem privada para órbita da terra? Veja valores da SpaceX

16 set 2021 | Notícias

Por Redação

Tripulação da missão, que recebeu o nome de Inspiration4 (Foto: Reprodução/Twitter)


Responsável por um momento histórico, a empresa SpaceX, do bilionário Elon Musk, iniciou na noite de quarta-feira (15) a primeira viagem ao redor da Terra sem astronautas profissionais, ou seja, com uma tripulação apenas de civis. Com nome de Inspiration4, a missão fez quatro turistas americanos decolaram a bordo de uma nave para uma viagem em gravidade zero. Eles devem passar três dias em órbita ao redor da Terra. Com esse marco para o turismo espacial, surge o questionamento: quanto custa uma viagem privada para órbita da Terra?

LEIA MAIS >> Sabia que é possível fazer um passeio de balão no Ceará?

Pandemia aquece procura por suplementos alimentares; entenda quando precisar

Algumas estimativas apontam que um assento na Inspiration4, missão da SpaceX, custaria cerca de US$ 50 a 55 milhões, valor que inclui treinamento, lançamento e custos diários para a sobrevivência na Estação Espacial Internacional (ISS, sigla em inglês). A informação é da agência de notícias britânica Reuters.

É importante ressaltar quem nem todos os tripulantes da primeira viagem turística para órbita da terra desembolsaram essa “bagatela”.

Tripulação civil

O multimilionário Jared Isaacman, de 38 anos, fundador e presidente da empresa Shift4 Payments, comanda a missão e financiou a sua travessia espacial e a dos outros três tripulantes, com um custo que não foi divulgado oficialmente, mas estipula-se o valor mínimo de US$ 200 milhões.

Ao lado de Issacman, embarcaram na super viagem a assistente médica Hayley Arceneaux, de 29 anos, uma sobrevivente de câncer que se tornou a pessoa mais jovem a voar para o espaço orbital; a professora universitária Sian Proctor, de 51 anos, a quarta mulher afro-americana a chegar ao espaço; e o engenheiro aeroespacial e veterano da Força Aérea Chris Sembroski, de 41 anos.

Chris Sembroski, Jared Isaacman, Hayley Arceneaux e Sian Proctor (Foto: Divulgação)

Os tripulantes receberam treinamento durante seis meses na base da SpaceX em Hawthorne, na Califórnia, incluindo manobras de gravidade zero e práticas com as forças gravitacionais que vão experimentar no espaço. Eles foram também preparados para exercícios de emergência, de entrada e saída de naves espaciais, e fizeram simulações de missões parciais e completas.

Assim, na quarta-feira (15), o foguete Falcon9 decolou na hora prevista, às 20h02 do horário local (21h02 de Brasília) desde a lendária plataforma de lançamento 39A do Centro Espacial Kennedy, na Flórida, acendendo uma bola de fogo que iluminou a noite. Minutos depois, a cápsula Dragon contendo os passageiros se desacoplou do corpo do foguete para iniciar o passeio em órbita.

Os quatro americanos a bordo viajarão para mais longe que a Estação Espacial Internacional (ISS), a uma órbita a 575 km da Terra. A cada dia o grupo completará 15 voltas ao redor do planeta.

A viagem marca a estreia de Musk no novo negócio de turismo orbital, dando um salto à frente dos concorrentes. A SpaceX já tem previstos outros voos e o próximo deverá se realizar no início de 2022, com três pessoas a bordo.

Viagem espacial no ‘preço’?

O turismo espacial tem ganhado espaço nos últimos anos e a expectativa da consultoria Research and Markets é a de que o setor irá chegar a US$ 2,58 bilhões até 2031, com um crescimento previsto de 17,15% ao ano. Viajar para o espaço pode, em breve, se tornar uma atividade tão comum quanto fazer um bate-volta para a praia — pelo menos para os mais ricos.

Além da SpaceX, de Elon Musk, outras empresas como a Virgin Galactic, de Richard Branson, e a BlueOrigin, de Jeff Bezos, pretendem transformar as viagens espaciais em voos comerciais. O relatório da Research and Markets afirma que o principal fator para o crescimento desse setor está relacionado ao surgimento de novas startups focadas em voos suborbitais e no comprometimento das companhias em desenvolver opções mais baratas para esse tipo de viagem. Quer exemplos?

No início de setembro, a empresa Virgin Galactic fez um voo tripulado e já está com uma lista de espera com nomes bastante conhecidos para os próximos — como Lady Gaga, Justin Bieber e até mesmo Musk. Ao contrário das viagens espaciais tradicionais em que os astronautas circulam à Terra e flutuam no espaço por dias, os voos da Virgin são viagens curtas, para cima e para baixo. A espaçonave percorre mais de 50 milhas (80 Km) acima da Terra, distância que o governo dos EUA considera a fronteira do espaço sideral.

Para viajar com a empresa, o passageiro precisa desembolsar pelo menos US$ 250.000, ou US$ 1.000 para participar da lista de espera. Se o valor for convertido com base na cotação atual, uma passagem custa cerca de R$ 1.278.927,50. As taxas devem ser aumentadas nos próximos anos. Já imaginou embarcar nessa aventura?

Publicidade

VEJA TAMBÉM

Publicidade

PUBLICIDADE