Márcia Travessoni – Eventos, Lifestyle, Moda, Viagens e mais

Entre em contato conosco!

Anuncie no site

Comercial:

comercial@marciatravessoni.com.br
Telefone: +55 (85) 3242 0333

Redação:

conteudo@marciatravessoni.com.br
conteudo1@marciatravessoni.com.br

Como evitar e tratar a acne causada pelo uso de máscara de proteção

22 abr 2021 | Beleza

Por Redação

O uso de máscara pode causar aumento da temperatura da pele e ocasionar o aparecimento de acne e irritações. (Foto: iStock)

Com a pandemia da Covid-19, o uso de máscaras se tornou essencial durante o dia a dia. Contudo, o uso constante desse item de proteção deixa a pele da face mais sensível e fomenta o surgimento de acnes e oleosidade. Dessa forma, além de manter as medidas de proteção devido à pandemia do novo coronavírus, é essencial tratar bem da pele.  O Site MT conversou com as dermatologistas Celina Frota e Manoela Crisóstomo para explicar os melhores métodos de prevenir a acne com o uso constante de máscaras e o tratamento ideal para essas dermatites. 

LEIA MAIS >>> Skincare do verão: Celina Frota dá dicas de como cuidar da pele

Máscaras caseiras e rotinas de skincare para testar no período de isolamento

A acne surge devido ao aumento da temperatura na região da face. “Quando você usa máscara, aumenta a temperatura naquele local da face, ou seja, deixa abafada e começa a fazer inflamação, surgir os cravinhos e tem a obstrução dos poros. Além disso, a umidade no local muda a microbiota da pele e, aí, pode surgir mais acne”, explica a Dra. Celina Frota.

Dra. Celina recomenda a lavagem das máscaras de tecido com sabão de coco para evitar irritações na pele (Foto: Reprodução)

Conforme a especialista, todos os tipos de máscara de proteção podem ocasionar acnes. “Mas no caso das máscaras de tecido, precisamos ficar atentos não só com a acne, mas também ao produto que usamos para lavá-la e que pode causar irritação na pele. Tem muita gente usando água sanitária [para lavar a máscara], e esse produto, em contato com a pele, irrita mais. O ideal é sabão de coco”, aponta. 

Entre as opções de máscara, o modelo N95 tem sido o mais recomendado pelos especialistas para a proteção contra o vírus da Covid-19, uma vez que ela consegue filtrar de maneira eficaz as partículas que normalmente se espalham pelo ar, quando há tosses ou espirro. A Dra. Celina Frota explica que não há nenhuma comprovação científica que a máscara N95 possa provocar mais acnes que as demais.  “Ela fere um pouco a pele pela pressão que faz, nós, profissionais da saúde, ficamos muito tempo com ela. O ideal é que, quando coloque, faça uma hidratação na região para não ter atrito, não machucar”, recomenda.

Além da acne e da oleosidade, outros problemas podem surgir na pele com o uso constante e necessário da máscara. “Quando utilizamos máscaras que pressionam muito a pele pode acontecer, em áreas de pressão, um ressecamento, aparecimento de dermatites ou ferimentos”, complementa a Dra. Manoela Crisóstomo, do Crisóstomo Hair & Skin Institute.

Para prevenir

Para evitar o aparecimento da acne com o uso constante das máscaras de proteção, as médicas selecionaram algumas medidas de prevenção e cuidado com a pele. “No caso de pessoas que usam máscaras muito apertadas, com muita pressão, muita fricção, recomendamos, sempre que possível, alternar com máscaras mais ‘confortáveis’, como as cirúrgicas ou máscaras de algodão de dupla face, isso evita a fricção ou a pressão nos mesmo pontos da face, melhora a oclusão e consequentemente o microbioma da pele”, orienta Manoela Crisóstomo.

A especialista recomenda, ainda, o uso de hidratantes em creme para evitar o ressecamento da pele. Quem tem pele acneica pode optar por hidratantes em gel ou sérum.

A Dra. Manoela Crisóstomo indica a aplicação de produtos umectantes – que protegem a pele contra a perda de umidade – antes de colocar a máscara (Foto: Reprodução)

Além disso, Manoela Crisóstomo indica a aplicação de produtos umectantes – que protegem a pele contra a perda de umidade – antes de colocar a máscara, para hidratar a barreira cutânea e com isso reduzir a pressão ou a fricção nas regiões do rosto, protegendo a pele. 

A Dra. Celina também indica limpeza de pele para remoção de cravos e uso de produtos que diminuam a oleosidade da pele. “E quando já tem a acne inflamatória, usar produtos à base de peróxido benzoíla, ou seja, já tratar uma acne mesmo”, sugere. Além disso, ela recomenda a troca de máscaras a cada duas ou três horas. “Principalmente, se você tiver falado muito e ter deixado o local úmido”, reforça.

Para tratar

As médicas reforçam que é essencial procurar uma dermatologista para indicar o melhor tratamento para a acne, mas compartilham dicas de cuidados diários que podem se encaixas em diversas rotinas. “No momento de higienizar a pele, evitar substâncias que contenham sabão (degermantes). O ideal é usar gel de limpeza que possua substâncias mais suaves para aquela pele sensível e acneica devido ao uso das máscaras. Além disso, evitar a limpeza facial com água muito quente e sempre aplicar hidratante na pele ressecada ou oleosa, conforme o seu tipo de pele”, explica Manoela Crisóstomo.

“No período de pandemia e Covid-19, é importante chamar a atenção para o autocuidado, realizando a limpeza da pele diariamente, sem uso de degermantes, aplicando substâncias umectantes e calmantes que ajudam a melhorar nossa barreira cutânea. Esse autocuidado é muito importante, já que atualmente precisamos sempre manter na nossa rotina a utilização das máscaras”, finaliza Dra. Manoela.

Publicidade

VEJA TAMBÉM

Publicidade

PUBLICIDADE