logo

Décor de Natal: Ana Cristina Mendes usa árvore viva e ornamentos naturais

Por Redação
Décor de Natal: Ana Cristina Mendes usa árvore viva e ornamentos naturais
Para este Natal, Ana Cristina criou um jardim com plantas vivas e usou ornamentos naturais para enfeitar a casa. (Foto: Eri Nunes)

No fim do ano, quando as luzes natalinas se fazem presentes na cidade, um sentimento de esperança toma conta da artista visual Ana Cristina Mendes. Para ela, o Natal é um momento de reflexão, gratidão e reunião familiar. Este ano, estas emoções se transmitem para dentro da casa dela através da natureza. “O significado do Natal esse ano é todo ornamentado pela natureza pura. Criei um jardim! Trouxe o verde e as orquídeas com todo o esplendor de formas, inspirados no pensamento de plantar algo novo, algo vivo na minha casa. Natureza é vida! Natureza é criação“, conta com entusiasmo. 

LEIA MAIS >>> Anjos do Natal 2020: brunch reúne apoiadores na galeria MultiarteMaison Casa Freitas abre concurso de mesas natalinas

Todo Natal, os filhos e os netos de Ana Cristina ajudam a montar a árvore natalina, mas, neste ano, foi diferente. “Eu quis fazer uma surpresa para eles”, lembra. “Busquei as essências que baseiam a minha reflexão ‘o que realmente importa?’. A árvore artificial e os enfeites da China foram doados e deram vez à criação de um jardim! A força da natureza está aqui em casa, ela é vida”, descreve. 

A tradicional decoração vermelha deu lugar, na casa de Ana Cristina Mendes, a um jardim natalino. (Foto: Eri Nunes)

A escolha partiu também do trabalho de Ana como artista.”Minha árvore de Natal é cheia de significados. O Natal é algo vivo e os ornamentos da natureza trazem força para esse período de desolação. Meu trabalho artístico tem uma forte relação com a natureza e a minha árvore de Natal é um organismo vivo, de força e amor. É uma árvore viva de corações com luzinhas”, afirma. 

“O mundo inteiro vem atravessando uma nova experiência de existir. Vivemos um momento de reinvenção, para a qual a conexão consigo mesmo, com a casa e com o outro nos mobiliza grandes oportunidades de aprendizados. A pandemia chegou de surpresa e continua. Estamos vivendo uma experiência que pode soar diferente para cada um, mas se estivermos disponíveis, ela pode trazer mudanças cruciais para nossa vida”, reflete.

Uma árvore natural 

Foi em uma visita a um jardim com uma amiga que Ana decidiu qual seria árvore de Natal. “Quando vi essa planta, imediatamente tive a certeza que essa seria a árvore de Natal perfeita para minha casa. E aqui ela está, linda e iluminada“, conta. A planta escolhida é chamada popularmente Filodendro “Coração”, mas o nome científico é Philodendron hederaceum Brasil.

As folhas dela têm formato de coração, “tem amor até no nome, pois phileo em grego significa amar, e dendron, árvore, ou seja, ‘plantas que amam árvores’ Há um amor enorme nessa minha árvore”. 

A árvore de Natal da casa da artista é uma planta viva cujas folhas têm formato de coração. No topo da árvore, um Espírito Santo de madeira. (Foto: Eri Nunes)

“Sou colecionadora de afetos, na arte e na vida. Minha casa é construída como um relicário, não só no Natal”, ressalta. “Um dado curioso é que sempre gostei de desenhar corações, sendo até um hábito automático de rabiscar. Porém, na fase mais crítica do distanciamento social, sobretudo, quando estava mais sensível, os corações me vieram fortemente à tona através da intuição, em sonhos e sincronicidades”, pontua.

Além das luzes e dos corações naturais da própria planta, Ana complementou a árvore com um Espírito Santo de madeira – uma peça de arte popular – e, na base, colocou pinhas, cujo sentido, de acordo com a artista,  simboliza o mais alto grau de elevação e iluminação espiritual para os povos antigos. Além disso, com o tempo, surgiram novos significados, como imortalidade, esperança e união familiar.

Pinhas simbolizam renovação e espiritualidade. (Foto: Eri Nunes)

O jardim que se fez na casa de Ana inicia no hall do apartamento, com uma dracena que remete, para ela, a estrela guia. Na porta de entrada, a tradicional guirlanda ganha flores e pinhas naturais desidratadas. “Dos poucos símbolos, escolhi um lugar especial para o homenageado principal, a imagem de Jesus nascido em uma manjedoura na mesa de centro”, descreve.

Flores de Bia

O jardim desenvolvido por Ana Cristina para este Natal teve como inspiração a querida amiga galerista Bia Perlingeiro, que faleceu em decorrência da Covid-19, em abril. “Uma das flores do jardim são as orquídeas. Bia, minha amiga, plantou em mim o gosto por elas e me ensinou a cuidá-las”, lembra. 

LEIA TAMBÉM > ‘Tudo que tocava era revestido de amor’, diz Ana Cristina Mendes sobre Bia Perlingeiro

“A memória da Bia é viva, continua em mim e em cada pessoa que a amava. Seu exemplo de generosidade, amor e bondade estão vivos. Lembra o conforto de um bom perfume espalhado no ar. Sua presença física faz muita falta. Dói e tenho muita saudade dela, mas a gratidão por ter sido sua amiga é maior”, afirma.

Natal em família

Airton Façanha Jr, Henrique Façanha, Ana Cristina Mendes, Naiana, Mariana, Rafael e Daniel Façanha (Foto: Eri Nunes)

Partilhar. É o que Ana Cristina espera para este Natal com a família reunida, semear esperança, momentos felizes e sentimentos bons. “O Natal é um momento importante de estar com pessoas queridas. Mais do que nunca, as pessoas precisam umas das outras, no entanto, o vírus continua nos rondando e ele é muito incerto. Precisamos cuidar uns dos outros”, aponta. Este ano, o Natal será apenas com o aconchego do núcleo familiar. “E a Natureza está aqui, emanando esperança e força, que certamente reverbera no mundo. Ela tem esse poder”, destaca. 

Veja também