logo

Lino Villaventura doa peças icônicas para museus e comemora 43 anos de carreira

Por Cintia Martins
Lino Villaventura doa peças icônicas para museus e comemora 43 anos de carreira
As peças serão doadas para a Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP), que detém o Museu de Arte Brasileira da Fundação Armando Álvares Penteado, e para o Instituto Zuzu Angel. (Foto: Alex Campêlo)

Expressões pelas quais o artista manifesta desejos, visão de mundo, sensações, sentimentos e contam, também, a história da humanidade, a arte e a moda caminham pelos mesmos campos. Não à toa, peças icônicas ganham cada vez mais destaque em museus no mundo, como é o caso do maior estilista brasileiro de vanguarda artwear desde 1978, Lino Villaventura, que doou parte do próprio acervo reunido nos últimos 43 anos. “Estou muito feliz com a doação, porque são roupas que tenho muito orgulho de ter feito. Além de serem as mais emblemáticas e preciosas do meu trabalho, que contam a história da minha carreira”, diz. 

LEIA MAIS >> Lino Villaventura aposta em linha de fragrâncias e amplia linha home

SPFW 2020: Lino Villaventura aposta em cores vibrantes e novas texturas 

Com a doação das peças para a Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP), que detém o Museu de Arte Brasileira da Fundação Armando Álvares Penteado, e para o Instituto Zuzu Angel – que já abriga peças assinadas por Lino -, os bordados, as nervuras e o caimento assimétrico, detalhes característicos da moda de Lino, ganham status definitivo no prestigiado mundo fashion. “A doação é algo que venho pensando há muito tempo, porque em outra ocasião já tinha doado uma peça para o museu da FAAP, eles sempre se mostraram à disposição para fazer a preservação do meu trabalho”, revela o estilista.

O estilista paraense radicado no Ceará, Lino Villaventura, celebra 43 anos de carreira em 2021. (Foto: Alex Campêlo)

As peças icônicas foram selecionadas pessoalmente pelo estilista paraense radicado no Ceará. Ele destaca que estava com dificuldade de manter os itens em um só lugar, por isso, também, doou uma parte: cerca de 30% do acervo, em ordem cronológica. “Nada melhor do que um museu para abrigar essas peças, por todo aparato e cuidado na preservação dessas roupas que são bem representativas da minha vida. Roupas escolhidas desde o início da minha carreira, a cada nova coleção”.

Valor artístico 

Verdadeiro apaixonado por artes plásticas e pelo universo da criação, o estilista Lino Villaventura carrega alma de artista. Desde o início da carreira ele é reconhecido por desenvolver um verdadeiro espetáculo de linhas, curvas, texturas, cores e volumes que encantam plateias de passarelas e os clientes das lojas com ares de galeria, em Fortaleza e São Paulo. 

Lino Villaventura no atelier, em Fortaleza. (Foto: Alex Campêlo)

Além disso, o trabalho de Lino Villaventura sempre foi marcado pela presença da artesania, o que eleva o feito à mão e o feito sob medida. Além de valorizar as técnicas manuais, em muitas coleções, o estilista privilegia sempre um artesanato têxtil de luxo e exclusivo.

“A moda é uma forma de fazer arte, a exemplo dos trabalhos feitos à mão, mais elaborados, que necessitam  de uma mão de obra mais especializada, e por isso possuem grande valor artístico”, destaca. Ao reafirmar os laços entre a moda e a arte, ele pontua que a moda é uma expressão artística que carrega uma expressão. “A roupa não é uma roupa apenas, existe um conceito por trás de um trabalho criativo que marca cada nova coleção”.

Veja também