logo
X

SPFW 2020: Lino Villaventura aposta em cores vibrantes e novas texturas

Por Redação
SPFW 2020: Lino Villaventura aposta em cores vibrantes e novas texturas
Nova coleção atemporal de Lino Villaventura foi concebida durante isolamento social (Fotos: Paulo Mancini)

O estilista Lino Villaventura escolheu “Eu quero é botar meu bloco na rua”, canção de Sérgio Sampaio, como plano de fundo para o fashion film da nova coleção atemporal de sua marca, apresentado sábado (7), na 25ª edição da São Paulo Fashion Week (SPFW).

LEIA MAIS >> Conheça nova loja de Lino Villaventura integrada ao atelier e à fábrica em Fortaleza

Lino Villaventura aposta em linha de fragrâncias e amplia linha Home

Com narração dramática de Ney Matogrosso, o filme exibe ao público um mix de experimentações que Lino fez em uma imersão introspectiva no período de isolamento social, o que resultou em novas texturas, bordados e diferentes tingimentos.

As transparências, já características do DNA de Lino, marcam mais uma vez presença, em peças oversized. Casacos amplos e patchwork de rendas são apostas do estilista, que se arrisca em cores vibrantes.

Assista ao fashion film:

Ver essa foto no Instagram

Lino Villaventura São Paulo Fashion Week – SPFW – Edição Celebrativa de 25 anos Em formato inédito 100 % digital Lino Villaventura Coleção Atemporal 2021 Lino Villaventura Moda Brasileira desde 1978 Participação Especial: Ney Matogrosso *Direção: Miro *Câmera e Edição: Jonathan Carvalho *Direção de Cena: Paulo Borges *Direção de Arte e Fotografia: Miro *Assistente de Direção de Arte e Fotografia: Gil Alves *Fotografia: Paulo Mancini *Styling e Edição de Moda: Regis Vieira *Modelos: Goan Fragoso, Shirley Pitta *Beleza: Marcos Costa *Cabelo: Mesquita *Produção Executiva: Ed Benini *Assistente de Produção Executiva: Thiago Almeida *Produção de Moda: Anderson Rodriguez *Camareira: Valdelice dos Santos *Motorista: Fábio Magri

Uma publicação compartilhada por Lino Villaventura (@linovillaventuraofficial) em

“Tem uma interpretação muito diferente dos meus trabalhos. Não tem muito adereço, mas uma interpretação de corpo, dos modelos”, revelou Lino ao UOL.

Fugindo à lógica, Lino se recusou a mostrar um desfile no filme. O que há é uma sequência de imagens dramáticas e inspiradoras de cada look, em ângulos incomuns, marcando a estreia do fotógrafo Miro na direção de produções audiovisuais. Paulo Borges, idealizador da SPFW, também deixa a contribuição para o trabalho e assina a direção de cena.

Veja também