Semana de moda de Londres será digital e agênero

Por Redação
Semana de moda de Londres será digital e agênero
Nos próximos 12 meses, as semanas de moda da capital britânica serão digitais e agênero. (Foto: Reprodução/ BFC)

O Bristish Fashion Council (BFC), responsável por articular os eventos de moda de Londres, anunciou que, pelos próximos 12 meses, todas as semanas de moda da capital britânica serão em formato 100% digital e “neutra em termos de gênero”, unindo as criações para o público masculino e feminino e permitindo “aos designers maior flexibilidade”.

Em comunicado divulgado nesta terça-feira (21), o conselho adiantou que o novo formato já se aplica em junho, na data em que aconteceria a London Fashion Week voltada para moda masculina, e acontecerá por meio de uma plataforma digital, destinada ao público comercial e aos consumidores. A plataforma terá entrevistas, podcasts, diários de designers, webinars e showrooms digitais.

LEIA MAIS >> À La Garçonne promove desfile sem plateia em São Paulo

‘Brasileiro vai consumir mais as marcas locais’, aposta Alice Ferraz sobre momento pós-pandemia

“Reunindo a comunidade da moda, a plataforma hospedará conteúdo multimídia exclusivo de designers, criativos, artistas e parceiros de marca, permitindo a colaboração e reunindo moda, cultura e tecnologia”, acrescenta o comunicado emitido pela entidade.

‘Vitrine para o futuro’

“É essencial olhar para o futuro e a oportunidade de mudar, colaborar e inovar. Muitas de nossas empresas sempre adotaram a London Fashion Week como uma plataforma não apenas para a moda, mas também por sua influência na sociedade, identidade e cultura. A pandemia atual está nos levando a refletir mais pungentemente sobre a sociedade em que vivemos e sobre como queremos viver nossas vidas e criar negócios quando passarmos por isso”, pontuou a CEO do British Fashion Council, Caroline Rush CBE.

O BFC adiantou que o novo formato já se aplica em junho, na data em que aconteceria a London Fashion Week voltada para moda masculina. (Foto: Reprodução/ BFC)

Segundo ela, a criação da plataforma da London Fashion Week é uma forma de adaptar ao contexto atual e construir uma vitrine global para o futuro. “Os designers poderão compartilhar suas histórias e, para aqueles que as têm, suas coleções, com uma comunidade global mais ampla; esperamos que, além de perspectivas pessoais sobre esse momento difícil, haja inspiração em caçambas. É pelo que a moda britânica é conhecida”, defende.

Amazon Launchpad, Facebook, Google, Instagram e YouTube estarão envolvidos na divulgação e ativação dos conteúdos das semanas de moda, além de diversas outra empresas que têm a inovação e a tecnologia como base.

Veja também