Márcia Travessoni – Eventos, Lifestyle, Moda, Viagens e mais

Entre em contato conosco!

Anuncie no site

Comercial:

comercial@marciatravessoni.com.br
Telefone: +55 (85) 3242 0333

Redação:

conteudo@marciatravessoni.com.br
conteudo1@marciatravessoni.com.br

MT #16

Os 10 novos nomes da moda cearense

O novo MT Indica traz os melhores do Ceará, em clima de The Best Of!

Publicidade

Polo de moda reconhecido nacionalmente, o Ceará é palco de um verdadeiro show de talentos, além de ganhar cada vez mais projeção nessa área e apresentar grandes eventos como o DFB Festival, o maior encontro da moda autoral da América Latina. Esse avanço também pode ser refletido em números: até o fim de 2021, o setor de moda no Estado deve movimentar R$ 4,81 bilhões, segundo projeções da IPC Maps. Em vista disto, o MT Indica desta semana apresenta “Os 10 novos nomes da moda cearense” com mentes criativas que estão se destacando pelo trabalho autoral. Confira: 

Marina Bitu (@marinabitu)

Nascida no Ceará, Marina Bitu herdou das avós o gosto pelo fazer manual e graduou-se em Design de Moda pela Universidade Federal do Ceará (UFC), além de se especializar em Gestão de Negócios da Moda pela Universidade de Fortaleza (Unifor). Ao longo de sua trajetória profissional integrou equipes de estilo de marcas como Anamac e Água de Coco por Liana Thomaz.

Em 2017, o desejo de expressar mais livremente sua criatividade levou à criação da marca que leva o seu nome. Em sua trajetória solo, a designer desfilou no DFB Festival, em 2019. Em 2020, a marca integrou a seleção de Novos Designers do Shop2Gether, com curadoria de Costanza Pascolato e Vogue Brasil. No mesmo ano, a marca foi destaque na edição de maio da revista Vogue e também nas publicações de Glamour e Marie Claire.

Já em 2021, Marina co-criou a marca SAU, beachwear com foco em design minimalista e qualidade. Com poucos meses de criação, a marca estreou na Miami Swim Week e conquistou seus primeiros clientes internacionais, além de compor a curadoria dos marketplaces Shop2Gether e Cidade Jardim. 

 

Marina Bitu

Claudia Raia veste Marina Bitu

Peça de Marina Bitu

David Lee (@davidleeoficial)

David Lee nasceu em 1991, em Fortaleza, e é o criativo à frente da marca homônima que estabeleceu dedicada a coleções masculinas em 2015, depois de participações memoráveis no DFB, despertando a atenção da mídia especializada.

Em 2017, ganhou o Prêmio Novos Talentos GQ + Reserva, foi capa da primeira edição do ano da revista GQ e apresentou coleção em Londres, através da plataforma International Fashion Show Case, reunião dos 16 maiores talentos emergentes a nível global. No mesmo ano, passou a integrar a plataforma de Novos Talentos da revista Vogue Brasil, e a se apresentar na Casa de Criadores, em São Paulo.

Em 2020, foi o único cearense na lista de talentos Under 30 da Forbes Brasil. Por meio da marca David Lee, o designer abre espaço para os temas que moldam a masculinidade contemporânea e estabelece uma assinatura inconfundível, manifesta em coleções bem equilibradas entre a funcionalidade urbana e a inovação técnica e poética. Mesclando alfaiataria, sportwear e elementos da indumentária militar em contra ponto com elementos artesanais, principalmente o crochê, hoje a principal assinatura da marca.

David Lee

Peça de David Lee

Peça do David Lee

Andressa Nóbrega (@dressa.oficial

A designer de moda Andressa Nóbrega gosta de expressar sua personalidade e visão de mundo por meio dos croquis. Livre de tabus, ela lidera a marca Dressa e trabalha com tecidos finos sem perder o toque da versatilidade, desde 2017. Andressa possui graduação em Design de Moda pela Faap, certificado em CBA, pelo Insper, Mestrado em Moda e Têxtil pela USP. Além disso, ela tem formação internacional pela Central Saint Martin School of Arts, em Londres, e já participou de congressos e palestras nacionais e internacionais, como CIMODE, em Milão.

A estilista começou a traçar os primeiros passos da carreira em São Paulo, local em que fez morada por 14 anos. Andressa já trabalhou com o renomado Carlos Miele e assumiu os cargos de estilista e coordenadora nas marcas do grupo Restoque, como Le Lis Blanc e Rosa Chá, entre 2014 a 2019.

Em 2020, a designer relançou a marca Dressa que trabalha em formato de ateliê e collections lançadas a cada semestre de forma exclusiva, em Fortaleza. Hoje, ela também é professora na faculdade de Design de Moda na Faap e presta consultoria para grandes grupos e marcas do setor de varejo, como Shorts Co, Andrea Bogosian, Dudalina e Bobô e novos designer como Aluf e Anacê.

Andressa Nóbrega

Peça de Andressa Nóbrega

Peça de Andressa Nóbrega

Publicidade

Gabriel Baquit (@insta.da.baba)

Formado em Publicidade e Propaganda, Gabriel Baquit passeou por muitas áreas do marketing até decidir qual caminho iria trilhar de fato. Trabalhou e desenvolveu projetos para grandes marcas locais e nacionais, mas foi com o desenvolvimento de seu próprio negócio que ele se encontrou. “Trabalhei como atendimento, redator, fotógrafo e até pesquisador na área acadêmica, mas foi na direção de arte e no design gráfico que eu acabei construindo minha carreira pós faculdade”, conta, lembrando que grande parte desses trabalhos eram voltados para o mercado de moda.

Apesar da formação em Publicidade, Gabriel carrega a moda no sangue. Sua mãe trabalha há anos na indústria têxtil e seu pai tinha uma loja de roupas. “Cresci entre rolos de tecidos e telas de serigrafia”, lembra. Foi só em 2019, durante o DFB Festival, que apresentou a primeira coleção de sua marca própria, a BABA, em um desfile aclamado pelo público.

Com uma proposta de valorização da cultura, dos cenários e da memória afetiva locais, a BABA segue homenageando a cidade de Fortaleza e o estado do Ceará em estampas multicoloridas e cheias de personalidade. No fim de 2020, Gabriel abriu a primeira loja, chamada BABA Lab, que, além de suas criações, recebe também outras marcas autorais, todas made in Ceará.

Gabriel Baquit

Peça de Gabriel Baquit

Peça de Gabriel Baquit

 Gisela Franck (@giselafranckdesign)

Gisela ingressou no mercado da moda em 2004 e trabalhou para grandes marcas cearenses, como a Água de Coco por Liana Thomaz, onde atua como estilista desde 2010. Desfilou cinco vezes com sua marca autoral no DFB Festival. É formada pela Faculdade Católica do Ceará e concluiu seu Mestrado em Fashion Design no Instituto Marangoni, em Milão. Também cursou Advanced Fashion Design na Central Saint Martins College of Art & Design, em Londres, e há 6 anos participa de encontros de estudos sobre arte na Galeria Multiarte, em Fortaleza.

Entre suas experiências pelo mundo e as ondas do mar, Gisela encontra emoções que inspiram seu trabalho de forma tão sutil. “Minha inspiração nasce sempre de algo que me emociona”. É nas sutilezas que o trabalho de Gisela Franck se faz consistente. Natural do Ceará, a estilista imprime em sua label um DNA minimalista, autoral e atemporal, prezando pelo uso de tecidos de fibras naturais e pelas práticas do consumo consciente.

Gisela Franck

Peça de Gisela Franck

Gisela Franck

Publicidade

Celina Hissa (@catarinamina

Fundadora e diretora criativa da marca, Celina Hissa é designer e mestre em comunicação social pela Universidade Federal do Ceará. Em seu trabalho de mestrado, pesquisou sobre modos de produção coletiva a partir da atuação de grupos de artistas de Fortaleza. Desenvolve trabalhos investigando a produção artesanal brasileira, dentre eles exposições de arte, design e outros.

Está à frente da marca desde 2008, após passar por agências de publicidade e propaganda e trabalhar com design, ganhando prêmios de destaque nacional. Em 2013, Celina também trabalhou em colaboração com a artista Ana Maria Tavares no Projeto Natural-Natural, no qual assinam juntas quatro obras de arte expostas no Museu do Dragão do Mar (Fortaleza, 2013). O projeto movimentou mais de 20 artesãs cearenses e as obras, após expostas em Fortaleza, também participaram de exposições no Museu da Vale (Vitória – ES); Exposição de Houston (EUA), na Sicardi Gallery : “Euryale Amazonica” (2014), dentre outros.

Em setembro deste ano, Celina apresentou o projeto “Olê Rendeiras”, parceria da Catarina Mina com a Qair Brasil, na Semana de Moda de Milão. As peças de “Litorânea, caderno e memórias do mar”, coleção feita pelas bilreiras de Trairi, no Ceará, brilharam na 5ª edição do Brasil Eco Fashion Week (BEFW) no evento. 

Celina Hissa

Peça da Catarina Mina

Peça da Catarina Mina

Gabriela Fiuza (@gabrielafiuzaoficial)

Em 2016, após a conclusão do curso de Design de Moda na Universidade Federal do Ceará (UFC), a cearense Gabriela Fiuza lançou a marca que carrega o seu nome, atendendo clientes-amigas na própria residência e valorizando um elemento importante da cultura local: o crochê.

Segundo ela, o artesanato sempre esteve presente nas peças da marca. “Temos como objetivo manter o crochê vivo e valorizado. Buscamos ressignificá-lo com design atemporal, durabilidade e qualidade. Essa matéria-prima faz parte da cultura da gente e também representa independência para muitas mulheres que encontraram nela uma maneira de ter sua renda”, afirma.Sobre o processo criativo, ela revela que as ideias surgem de vivências pessoais e toda a sua produção valoriza os profissionais do Estado, trabalhando com artesãs e costureiras no interior do Ceará. 

 

Gabriela Fiuza

Peças de Gabriela Fiuza

Peças de Gabriela Fiuza

Publicidade

Paula Villas-Boas (@bikinysociety)

Paula Villas-Boas é diretora criativa e fundadora da badalada Bikiny Society. A designer tem formação em Moda pela Universidade Federal do Ceará e durante o curso teve a oportunidade de fazer intercâmbio em Lyon, na França, cidade conhecida mundialmente pela sua produção têxtil e referência de moda. Nesse período estudou e se encantou pela alta costura e pela famosa técnica de moulage que consiste em dar vida a uma peça embalando o tecido direto no corpo ou no manequim.

Seu amor pelo que fazia foi tanto, que mesmo depois que terminou o seu período de estudos, ao invés de retornar, ela seguiu para Paris em busca de oportunidades. Paula retornou ao Brasil para concluir a universidade e recebeu uma proposta de trabalho em uma grande marca de moda praia no Brasil. Ela se dedicou alguns anos a essa empresa até que casou e foi morar na Suíça. 

Paula teve o insight de criar a Bikiny quando morava na Suíça para falar da beleza que é juntar a bossa brasileira e o estilo de vida europeu, e unir suas paixões, beach couture e viagens, construindo uma marca de DNA único. A profissional já morou em vários países e está constantemente transitando entre os paraísos mais encantadores do mundo. Tulum, Havaí, Portugal, Miami, Rio de janeiro, Ceará, e a lista vai só aumentando. Todas as experiências são refletidas na marca.  

Em outubro deste ano, a designer apresentou a Bikiny Society no primeiro desfile internacional da grife, na Brazil Fashion Forum, que aconteceu no Institute of Contemporary Art, em Miami, nos Estados Unidos. 

Paula Villas-Boas

Peças da Bikiny Society

Peças da Bikiny Society

Publicidade

Ana Beatriz Ribeiro e Ivete Ribeiro (@acude___

Ana Beatriz Ribeiro e Ivete Ribeiro, mãe e filha nascidas em Juazeiro do Norte, interior do Ceará, também estão na lista dos novos nomes da moda cearense e lideram a marca Açude. Tudo o que inspira a criatividade das duas nasce no Cariri e as roupas traduzem essa conexão com o lugar de origem. 

A dupla cria peças onde as formas, cores e textura são o que mais se destacam, sem deixar de trazer uma preocupação com o futuro do planeta. “Trabalhamos com tecidos recuperados de fábricas amigas ou tecidos provenientes de fibras naturais. Acreditamos em uma moda mais amiga do meio ambiente e mais conectada com o presente”, afirma Ana. 

Beatriz viveu em Juazeiro do Norte até os 18 anos e foi durante o TCC de Arquitetura que iniciou sua pesquisa sobre a história de sua cidade e das riquezas culturais e naturais do lugar. Ela também se formou em design de moda, onde começou a se reaproximar das roupas, algo que sempre amou, mas foi na pandemia que a marca, que no início se chamaria Zeferina, nome da sua avó, tomou forma. Açude é uma barragem de água que permitiu a permanência da vida no Sertão e é sobre esse lugar, as pessoas que o constroem, a riqueza do artesanato, do trabalho manual, da Caatinga e da cultura que a marca gosta de falar.  

A última coleção da marca chamada Alumiá traz uma pesquisa bonita sobre Ariano Suassuna, Poemas de Patativa do Assaré, elementos da Natureza misturados em cores, recortes e formas que saltam aos olhos de quem vê. Para a segunda coleção, a marca também desenvolveu um cordel com artesãos locais contando um pouco do que inspira a Açude. 

Ivete Ribeiro e Ana Beatriz Ribeiro

Peças da Açude

Peças da Açude

Publicidade

Theresa Montenegro (@theresaoficial)

A trajetória da designer cearense Theresa Montenegro encanta pelo trabalho feito à mão e o cuidado com os detalhes. Criada em Jaguaruana, ela iniciou a carreira trabalhando como modelo ainda na infância. “Mesmo morando lá, eu vinha passar a semana com a minha mãe em Fortaleza para fazer os trabalhos. Daí começou minha paixão pela moda. E na hora de escolher o curso na faculdade, não tive dúvidas”, lembrou Theresa em entrevista ao Site MT. 

Theresa iniciou produzindo vestidos de festa focada no público jovem. Partiu também dela a iniciativa de entrar em contato com os stylist de moda das celebridades para oferecer peças, e o trabalho árduo funcionou. A cearense soube manter o relacionamento e criar peças desejos que se tornaram febre e a riqueza do seu trabalho tem chamado atenção nacionalmente.

A designer já desenvolveu peças para celebrities como Luísa Sonza, Juliette, Lorena Improta, Bruna Gonçalves, Bianca Andrade, Aline Riscado, Hariany Almeida e Rafa Kalimann. Além da brand homônima, Theresa parte para um novo desafio ao criar uma marca de beachwear: a Marithe

Theresa Montenegro

Peça de Theresa

Peça de Theresa

A votação já está aberta! Clique AQUI e vote no seu designer preferido!

 

 

O novo MT Indica traz os melhores do Ceará, em clima de The Best Of, a partir das experiências pessoais de Márcia Travessoni e equipe MT, sites especializados, testemunhais de consumidores, relação custo x benefício, engajamento e postura da marca, repercussão midiática, diversidade, sustentabilidade, diferenciais tecnológicos, singularidade, exclusividade, em listas não-numeradas e abertas à votação popular cujo resultado está previsto para dezembro de 2021.