Márcia Travessoni – Eventos, Lifestyle, Moda, Viagens e mais

Entre em contato conosco!

Anuncie no site

Comercial:

[email protected]
Telefone: +55 (85) 3242 0333

BBB 22: Por que o termo ‘traveco’ não deve ser usado?

21 jan 2022 | Notícias

Por Redação

Linn da Quebrada, participante do BBB 22, tem o pronome “ela” tatuado na testa (Foto: Reprodução/Instagram)

No mês da Visibilidade Trans, o maior reality show do Brasil recebe novamente — após um hiato de 11 anos — uma participante travesti, a cantora e atriz Linn da Quebrada. Em menos de 24h desde a sua entrada no BBB 22, a sister foi alvo de comentários transfóbicos. Na noite da última quinta-feira (20), Rodrigo Mussi revoltou os colegas de confinamento ao usar um termo pejorativo para se referir a travestis. Em conversa no quarto Lollipop, o brother comentou que não conseguia esquecer uma história que Eliezer contou sobre “um ‘traveco'” e sua fala foi repreendida pelos participantes. Entenda porque o termo não deve ser usado.

LEIA MAIS >> O significado da sigla LGBTQIA+ e a importância do orgulhar-se

Confira quem são os participantes do BBB 22

Após o comentário, os participantes Scooby e Vyni aconselharam Rodrigo a procurar Linn da Quebrada e pedir para ela explicar os motivos do termo não ser adequado. Nesta sexta-feira (21), Rodrigo seguiu o conselho e foi perguntar a opinião de Linn e ela foi bem incisiva. Confira a conversa:

“Não pode mais ser aceito como normal mas eu achava que era. Eu soltei uma palavra que você tem lugar de fala para me ajudar. Falei a palavra traveco, daí vim aqui perguntar para você se era ofensivo”, comenta Rodrigo, no que Linn responde:

“Traveco é utilizado nesse lugar pejorativo. Acho que a gente até sabe mas também não se liga porque isso acaba se tornando um hábito de se referir. Sim, porque é pejorativo”.

No Twitter da cantora, as administradoras — que também são travestis — confirmaram a explicação de Linn da Quebrada sobre o termo ‘traveco’.

Na língua portuguesa, o diminutivo ‘eco’ normalmente acrescenta uma conotação pejorativa e negativa à palavra. Além disso, o termo “traveco” invalida uma luta de anos travada em prol de conseguir o respeito e a dignidade que travestis merecem. Na dúvida, pergunte qual pronome e qual a forma que a pessoa deseja ser chamada.

Linn é trans ou travesti? Entenda a diferença

Linn da Quebrada não se identifica como uma mulher trans, mas como uma travesti. Segundo a definição que é aceita pela comunidade LGBTQIA+, mulher trans é uma identidade feminina que está dentro da binariedade (a dicotomia homem-mulher). Já travesti vai além da binariedade. A pessoa que se declara travesti, não necessariamente se identifica como mulher, mesmo que, na aparência, ela pareça uma.

Na quinta-feira (20), os participantes do BBB 22 se conheceram melhor durante uma dinâmica de grupo e Linn afirmou: “Não sou homem, nem sou mulher. Sou travesti“. Assista:

Publicidade

VEJA TAMBÉM

Publicidade

PUBLICIDADE