logo

Campanha Ceará Sem Racismo vence Prêmio Innovare 2020

Por Redação
Campanha Ceará Sem Racismo vence Prêmio Innovare 2020
A campanha Ceará sem Racismo percorreu 13 municípios do Ceará em 2019 e teve Zelma Madeira à frente da execução(Foto: Divulgação Prêmio Innovare 2020)

A campanha “Ceará sem Racismo – Respeite minha história, Respeite minha diversidade” foi a grande vencedora do Prêmio Innovare 2020,  premiação nacional que reconhece iniciativas que contribuem para o aperfeiçoamento da justiça e cidadania no Brasil. O resultado foi anunciado nesta terça-feira (1º).

LEIA MAIS >>> Mulher negra ainda tem baixa representação política no Brasil

Cine Ceará homenageia Gloria Pires e Lázaro Ramos em 30° edição

A campanha foi idealizada em 2019 pelo Governo do Ceará, por meio da Secretaria da Proteção Social, Justiça, Cidadania, Mulheres e Direitos Humanos (SPS), e executada pela Coordenadoria Especial de Políticas Públicas para Igualdade Racial. A proposta era acionar a memória e o sentimento de pertencimento através das imagens de heróis negros e indígenas do Brasil e do Ceará que contribuíram com a nação, simbolizando resistência e representação de identidade.

“Eu estou muito feliz hoje. Vejo que toda e qualquer ação para solucionar e romper com o racismo guarda uma profundidade, uma raiz. Estamos em um país que não tem a unanimidade de que é racista, algumas pessoas ainda acham que falar sobre racismo é ‘mimimi'”, ressalta a professora universitária Zelma Madeira, que é titular da Ceppir e foi uma das responsáveis pela execução da campanha.

“Essa campanha só saiu vitoriosa pelo envolvimento de toda equipe. É dia de festejar, dia de se alegrar, pois podemos apostar em uma outra sociedade sim ”, celebra. Entre as personalidades retratadas na campanha Ceará Sem Racismo estão Chico da Matilde (Dragão do Mar); Preta Simoa, mulher negra importante na luta abolicionista cearense; Cacique Daniel, indígena da etnia Pitaguary que em vida lutou pela garantia dos direitos de seu povo; Mãe Menininha do Gantois, mãe de santo e representação dos povos de terreiro; e Zumbi dos Palmares, líder quilombola de maior influência no país.

Socorro França e Zelma Madeira (Foto: Divulgação)

“Achamos interessante fazer uma aposta socioeducativa, educar as pessoas para uma vida sem racismo, educar as pessoas valorizar a diversidade racial. Interiorizar as políticas de igualdade racial, temos uma vontade de levar para todos os 184 municípios a necessidade de entender o racismo como um crime e podemos, assim, somar na luta antirracista de onde você está. É uma campanha que dá para todo mundo fazer e fomos pela pegada de cultural, trazer o pertencimento para as pessoas ao se verem” , explica Zelma.

Alcance

A campanha Ceará sem Racismo percorreu 13 municípios do Estado, promovendo formações com gestores, movimentos sociais e servidores públicos sobre ações de enfrentamento ao racismo estrutural. As cidades receberam ainda assessoria para o fortalecimento e criação de conselhos de igualdade racial.

Segundo a SPS, 2.100 pessoas foram alcançadas pelo projeto, nos municípios de Fortaleza, Horizonte, Maracanaú, Aquiraz, Caucaia, Ocara, Palmácia, Jijoca de Jericoacoara, Sobral, Juazeiro do Norte, Pentecoste, Quiterianópolis e Icapuí. Durante a pandemia, a campanha se estendeu para a internet, alcançando 2.987 pessoas em 47 municípios do interior, por meio de lives e encontros virtuais.

Prêmio

No total,  646 projetos de todo o País foram avaliados pelo Prêmio Innovare 2020. “Ceará sem Racismo – Respeite minha história, Respeite minha diversidade” foi anunciada como uma das 12 finalistas, em novembro.

Veja também