logo

Ceará terá livro sobre fauna ameaçada de extinção

Por Redação
Ceará terá livro sobre fauna ameaçada de extinção
O objetivo é alertar a sociedade, os órgãos públicos e as entidades não-governamentais sobre o fato. (Foto: iStock)

Algumas ações humanas – queimadas, retirada da vegetação, exploração da madeira das árvores – contribuem significativamente para a degradação dos habitats naturais da fauna, o que põe em risco a permanência de algumas espécies. Para alertar a sociedade, órgãos públicos e as entidades não-governamentais, a Secretaria do Meio Ambiente e Sustentabilidade (Sema) fará uma pesquisa visando saber quais animais estão em extinção no estado do Ceará. A coleta dos dados começará em abril. As informações estarão no Livro Vermelho da Fauna Cearense, que deve ser publicado até o fim deste ano, informou o titular da pasta, Artur Bruno.

LEIA MAIS >> Empresa cearense transforma óleo retirado das praias em combustível alternativo

Ecoturismo: Trilhas ecológicas para desbravar a natureza no Ceará

Entre os projetos de 2020, destacou o secretário, está o lançamento de seis áreas de esporte, lazer e cultura nos Parque do Cocó e em outros bairros de Fortaleza até o fim do ano. Para a instalação dos equipamentos, ressalta Artur Bruno, não haverá desmatamentos, uma vez que eles ficarão em áreas já degradadas.

Metas

Outra novidade é a criação do Pacto pelo Cocó, explicou o titular da pasta. Entre as metas traçadas estão: preservar e despoluir o rio, para aumentar o espaço de navegação e, futuramente, ter balneabilidade; preservar a fauna e a flora; e garantir que haja equipamentos de esporte, cultura e lazer em vários outros bairros de Fortaleza. “Temos o privilégio de ter uma floresta enorme dentro da cidade, que pouca gente conhece. Queremos que haja o sentimento de pertencimento”, salientou.

Neste ano, pontua o secretário, haverá a a primeira edição do Selo Empresa Sustentável, reconhecimento dado às empresas que têm a sustentabilidade como um dos pilares. Uso racional da água; destinação de efluentes; gerenciamento de resíduos sólidos; uso racional de energia elétrica; e responsabilidade socioambiental estão entre os critérios avaliados. “Durante todo este ano, salienta, a Sema conversará com empresários de diversos setores”.

Veja também