logo

Cidades do interior do Ceará receberão Tuk Tuk em setembro

Por Redação
Cidades do interior do Ceará receberão Tuk Tuk em setembro
A estimativa, de acordo com a empresa responsável, é que um percurso médio de até dois quilômetros tenha um custo de, no máximo, R$ 5 para os usuários. (Foto: Divulgação)

Quatro municípios do interior do estado do Ceará – Itapipoca, Quixadá, Santa Quitéria e Boa Viagem – receberão, em setembro, triciclos elétricos do tipo Tuk Tuk, modelo de transporte de baixo custo, seguro, que não emite fumaça e não faz barulho. Foram investidos R$ 250 mil nos equipamentos, que poderão ser solicitados por meio de um aplicativo de transporte chamado Tuker. O objetivo dos proprietários da LokaTuk, empresa responsável, é levar a novidade para todo o Brasil.

Os Tuk Tuk podem transportar até três passageiros – preferencialmente dois adultos e uma criança, além do motorista, suportando um peso de até 300 quilos. Mesmo sendo aberto nas laterais, o modelo dispõe de cintos de segurança e trafega com uma velocidade máxima de 40 Km/h. As baterias recarregáveis precisam de 3 horas para ter a carga completa e podem ser acopladas em uma tomada simples, o que garante um trajeto de até 80 Km.

LEIA MAIS >> Voos baratos, aluguel de carros, arrumação de mala: nove aplicativos para planejar sua viagem

Fortaleza é destaque no livro internacional ‘Guia de Desenho de Rua para Crianças’

A estimativa é que um percurso médio de até dois quilômetros tenha um custo de, no máximo, R$ 5 para os usuários. Os municípios selecionados contarão, cada um, com três Tuk Tuk, e o processo de seleção para os pilotos do futuro serviço está em fase avançada de elaboração. De acordo com a empresa, os prestadores de serviço de moto-táxi dos locais poderão cadastrar os veículos deles na plataforma digital. É necessário Carteira Nacional de Habilitação (CNH) adequada para cada tipo de transporte.

Taxas

Os pilotos selecionados pela empresa e que utilizarão o aplicativo Tuker pagarão um aluguel mensal no valor de R$ 400, em formato de leasing (quando há um empréstimo com um bem em garantia), pelo triciclo elétrico, incluindo um seguro para o caso de danos e acidentes. O leasing se encerra após 36 meses, quando os pilotos poderão optar em ficar com o equipamento, como proprietários, pagando um residual em torno de R$ 3,5 mil, ou devolver o Tuk Tuk e alugar um mais novo e mais moderno.

A empresa frisa que o aplicativo Tuker cobra uma taxa de até 25% de comissão pela intermediação dos serviços de transporte, seja para Tuk Tuk quanto paras as moto-táxi cadastradas na plataforma digital. Os equipamentos estão autorizados para a circulação no Brasil pelo Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) e podem ser emplacados normalmente nos Detrans.

Veja também