logo

Comitiva da Fiec entrega plano para impulsionar economia do Ceará ao presidente da República

Por Rosi Melo
Comitiva da Fiec entrega plano para impulsionar economia do Ceará ao presidente da República

O presidente da Federação das Indústrias do Ceará, Ricardo Cavalcante, se encontrou com o presidente Jair Bolsonaro, quarta-feira (11), na sede da Confederação Nacional da Indústria (CNI). Acompanhado de uma comitiva da Fiec, o empresário cearense realizou a entrega de um protocolo de reivindicações para impulsionar a economia do Ceará.

O encontro aconteceu durante cerimônia promovida pela CNI em homenagem a Bolsonaro, reunindo 650 empresários em Brasília. O presidente foi condecorado com o Grande Colar da Ordem do Mérito Industrial, a mais alta comenda da indústria nacional, entregue somente a presidentes da República.

LEIA MAIS >> Fiec homenageia centenário de Virgílio Távora; veja cliques

Para o presidente da CNI, Robson Braga, as prioridades do País em 2020 devem ser a reforma tributária, os investimentos em infraestrutura e o fortalecimento do Banco Nacional de Desenvolvimento e Social (BNDES).

Ele também salientou que a recuperação da economia da mais longa e profunda recessão da história é gradual e destacou que, em outubro, o faturamento da indústria cresceu 1,3% em relação a setembro e teve cinto altas consecutivas. A indústria da construção registrou o maior crescimento dos últimos sete anos.

O governo, segundo Braga, é o responsável pela reação positiva da economia, por meio de medidas que vem sendo implementadas. É o caso da Reforma Trabalhista, a Reforma da Previdência e diversas ações de desburocratização.

Formação

Na ocasião, o presidente do CNI assinou dois acordos com o governo. O primeiro prevê a oferta de 1,32 milhão de matrículas em cursos do Senai, além do atendimento de 46,8 mil empresas até 2022 com consultorias e serviços técnicos. As vagas serão ofertadas por meio do Programa Emprega Mais e o Brasil Mais Produtivo.

O segundo acordo firma um plano de trabalho com o Sesi, dentro de pacto que foi assinado com o Ministério da Cidadania para o atendimento a 800 mil jovens de 18 a 29 anos, inscritos no Cadastro Único do governo federal. A prioridade é de beneficiários do Bolsa Família. Haverá cursos de acompanhamento pedagógico em língua portuguesa e matemática, desenvolvimento de habilidades socioemocionais, integrados a cursos de qualificação técnica.

Fotos: Divulgação

Veja também