logo

‘É sobre você amar as belezas e também as adversidades’, diz Ju Ferraz sobre o movimento body positive

Por Jacqueline Nóbrega
‘É sobre você amar as belezas e também as adversidades’, diz Ju Ferraz sobre o movimento body positive
Juliana Ferraz é empresária, RP, está à frente de eventos como o Camarote Nº 1, além de escrever sobre temas como empoderamento feminino e body positive. (Foto: Reprodução/ Instagram)

A empresária e RP Juliana Ferraz tem o nome reconhecido nacionalmente por estar à frente de eventos como o tradicional Camarote Nº 1, um dos principais spots do Carnaval carioca, e integra ainda o grupo de live marketing Holding Club. Para além do mundo dos negócios e eventos, ela se destaca por abraçar a bandeira do body positive, usando as redes sociais para escrever sobre o movimento de amor ao corpo e demais temas relacionados ao empoderamento feminino, assinando, inclusive, uma coluna na Vogue Brasil sobre o assunto.

Segundo a baiana, o conceito de body positive nada mais é do que respeitar o corpo. “É sobre você amar as suas belezas, e também as suas adversidades”. Ao Site MT, Juliana contou que ser fora do padrão sempre foi complicado para ela e precisou dedicar longos períodos para entender que o problema não estava na gordura.

“Hoje, aos 39 anos, muita coisa mudou. As pessoas já entendem e respeitam isso, acho que já quebramos muitas barreiras, mas a coisa que é mais bacana de se ver é que a próxima geração já vai crescer de outra forma, sendo respeitada pelo que eles são e não pelo tamanho do corpo que possuem”.

LEIA MAIS >> ‘Ajudo muita gente a ter coragem de quebrar barreiras’, diz Iza em entrevista exclusiva ao Site MT

Thyane Dantas revela rotina da quarentena com a família em fazenda

Em meio à pandemia que o mundo atravessa, a preocupação excessiva com a aparência física se tornou um assunto com destaque ainda maior, pelo fato de estarmos mais tempo em casa, sem tantas possibilidades de se exercitar e comendo em maior quantidade devido à ansiedade. No entanto, Juliana reforça que o importante é estarmos com a mente sã.

A empresária reforça que o movimento body positive prega que as pessoas esteja bem com elas mesmas, independente da forma do corpo físico Foto: Divulgação

“Ter essa virtude facilita todos os caminhos. Acredito também que, neste momento, o mais importante é estarmos com saúde. Abordar temas sobre ser gordo ou ser magro atualmente é uma questão muito complexa, porque milhares de pessoas estão perdendo parentes e amigos para um vírus, outras milhares estão passando por uma série de dificuldades. Logo, o importante mesmo é manter a serenidade e o equilíbrio para enfrentar os dias difíceis, ter lucidez para dormir e acordar com tanta instabilidade emocional e social“, defende ela.

“Afirmo que a questão de ser gordo ou magro é o que menos importa neste momento e o corpo positivo vem muito de encontro com esse tema porque deixamos claro, de uma vez por todas, que o importante é você estar bem consigo mesmo, independente das formas do seu corpo físico”, declara Ju Ferraz.

Rotina modificada

Ainda sobre as medidas de isolamento social adotadas em diversos estados do Brasil, a empresária relata que a rotina dela também foi afetada. Ela está há quase 80 dias em casa, tendo o computador como principal aliado no trabalho. Até a pandemia chegar ao Brasil, o dia a dia da baiana era diferente.

“Minha vida era andar por esse país, como diz a música, de um avião para outro, de uma reunião para outra, de uma cidade para outra. Hoje chego a ficar 12 horas em frente ao computador em reuniões, mas, mesmo assim, tenho conseguido me comunicar com meu público”.

A rotina de Ju Ferraz foi modificada devido à pandemia. Se antes passava horas em ponte-áerea, hoje se dedica aos trabalhos em frente ao computador Foto: Divulgação

Juliana também acredita que a sua voz ganhou ainda mais relevância durante a pandemia pelo fato de abordar temas como amor próprio, autoestima, boas notícias e positividade. “Tenho feito muitas lives, e adoro, mas afirmo eu nunca mais serei a mesma depois de passar por uma pandemia. Me sinto em uma guerra invisível, me sinto transformada diariamente. Sempre pensei muito em mim e hoje eu penso muito em nós. Reflito em como posso ajudar as pessoas, em como posso empoderar a vida de tantas mulheres, me sinto útil investindo nisso”.

‘Não cancele, remarque’

Sócia da Holding Clube, que atua há 30 anos no setor de live marketing, a empresária está à frente da campanha “Não cancele, remarque”. Com a experiência no setor, Juliana é direta ao dizer que o mundo, incluindo o setor de eventos no qual atua, terá que se adequar ao novo normal pós-pandemia.

“A gente já vê um monte de eventos digitais pois o mundo já virou all-line. Com a mistura do online com o offline, o digital ganha um pouco mais de protagonismo, mas ainda tenho certeza que a experiência física nunca deixará de existir. Os eventos vão continuar, porém com protocolos de saúde e cuidado e, em seguida, com novos formatos de experiências. O importante é que os eventos serão sempre momentos inesquecíveis”.

Sobre o Carnaval de 2021 e o futuro do Camarote Nº 1, que comemora 31 anos no ano que vem, Juliana é otimista e está confiante de que a festa irá acontecer. “Temos certeza que, independente de como o mundo esteja, a gente vai trabalhar para gerar melhor experiência para o nosso folião. Já começamos a pensar no futuro do Carnaval e posso dizer que cada vez mais a gente vai trabalhar para a experiência ser a mais incrível possível. Caso o Carnaval não aconteça em fevereiro, vamos pensar em um plano B e construir uma experiência bacana para as pessoas”.

Por fim, ela falou sobre ser colunista da Vogue Brasil, veículo que cresceu acompanhando a trajetória e transformação. “Ser a escolhida para falar do body positive é um grande presente porque é a oportunidade que eu tenho de disseminar essa informação, de potencializar a história e o respeito da diversidade de corpos. Fico muito feliz e honrada de conseguir falar sobre isso um canal de comunicação tão importante como a Vogue”.

VEJA AINDA >> ‘Estou trabalhando para que o Réveillon de Jeri aconteça’, diz Álvaro Garnero em live

‘A elegância do agora é empatia’, diz Costanza Pascolato em live com Márcia Travessoni

Veja também