logo

‘A elegância do agora é empatia’, diz Costanza Pascolato em live com Márcia Travessoni

Por Tainã Maciel
‘A elegância do agora é empatia’, diz Costanza Pascolato em live com Márcia Travessoni
Costanza Pascolato participou de uma live, nesta terça-feira (2), com Márcia Travessoni sobre o tema “Preservando a Autoestima” (Foto: Arquivo)

“Você tá boa, Márcia? Tá calor aí?”, disse Costanza Pascolato, considerada a papisa da moda, ao começar uma live nesta terça-feira (2) com a publisher do Site MTMárcia Travessoni. No bate-papo especial, a colunista da Vogue Brasil abordou o tema “Preservando a Autoestima” e opinou sobre assuntos do momento, como a luta contra a pandemia. “A elegância do agora é empatia. As pessoas devem entender que é preciso ter respeito com as outras. A gente não é independente, nós somos interdependentes”, afirma.

A transmissão foi realizada no Instagram de Márcia Travessoni, com apoio do Hospital Gênesis. Aos 80 anos, conhecida por seu legado na moda, além da beleza e sensatez intrínseca, Costanza falou sobre o seu processo de amor próprio.

LEIA MAIS >> Álvaro Garnero participa de live com Márcia Travessoni

DFB Festival realiza edição online e distribuirá R$ 35 mil a talentos afetados com a pandemia

“Não sei exatamente de onde veio isso, mas tive ótimos exemplos das mulheres da minha família. Em 2014, escutei uma meditação em Nova York em que a moça dizia que você tem que se amar incondicionalmente e comecei a chorar porque, enfim, tinha entendido”.

Assista aqui à live na íntegra.

“Você tem que se aceitar com todos os defeitos e bobagens. Se você não se ama, você não é útil para ninguém, vai ficar procurando amor em outra pessoa e nunca vai encontrar”, aconselha Costanza Pascolato.

Segundo, ela a questão da autoestima pode ser acompanhada historicamente. “No século XX, a gente tinha uma linguagem baseada no egocentrismo e “autocrítica”. Já com a autoestima, você tem uma visão mais positiva das coisas”.

Nascida na Itália durante a 2ª Guerra Mundial, Costanza acompanhou durante a reconstrução do Ocidente, o avanço da Pop Art, o nascimento do prêt-à-porter e a sofisticação da alta-costura. Hoje editora, consultora e ícone fashion, ela lança um olhar sobre as novas tendências que surgem e fala sobre a inclusão de diferentes corpos e cores na moda.

“Acho que sobretudo pela digitalização da informação dos anos 2000 para cá, o mundo mudou. Sabemos tudo de todo mundo de uma maneira muito íntima. Porque fazer um editoral com todas as pessoas iguais? Aquilo não era real. Acho que essa discussão é mais do que necessária e vamos passar por mais transformações”, comenta. 

Na live, Costanza citou seu livro “A Elegância do Agora” lançado em 2019, uma espécie biografia própria. Além disso, ela falou sobre o livro “O Fio da Trama, escrito por sua filha Consuelo e Alessandra Blocker, que conta a trajetória de sua família nos últimos 100 anos. 

“Para mim a elegância sempre foi mais uma questão de ser do que parecer. Não tenha medo ser você mesmo”, diz Costanza.

Durante o isolamento social, ela busca manter uma rotina saudável para o corpo e a mente. Pratica pilates três vezes por semana e não dispensa uma boa caminhada. “Estou estudando muito. O momento de crise é um momento de mutação. Vivi uma vida extraordinária com muita sorte, tenho menos tempo de vida e quero viver da maneira mais útil possível”.

Veja também