Em Brasília, Roberto Cláudio define início da revitalização do Parque Rachel de Queiroz

Por Redação
Em Brasília, Roberto Cláudio define início da revitalização do Parque Rachel de Queiroz
Intervenção terá financiamento milionário do Banco Mundial. Foto: Divulgação.

Em reunião com a diretoria do Banco Mundial, em Brasília, na terça-feira (18), o prefeito Roberto Cláudio definiu ações e metas da requalificação do Parque Rachel de Queiroz. Após ter conseguido um empréstimo de R$ 320 milhões com a instituição financeira, em junho do ano passado, ele informou, nesta semana, que a assinatura da Ordem de Serviço para as obras da 1ª etapa deve ocorrer em março deste ano.

De acordo com o chefe do executivo municipal, até o fim do primeiro semestre, a Prefeitura de Fortaleza assinará a Ordem de Serviço da segunda etapa do Parque Rachel de Queiroz. “Então, teremos em março a primeira etapa em obras e no mês de junho, possivelmente, já teremos a segunda etapa também em obras”, destacou.

LEIA MAIS >> Roberto Cláudio anuncia investimento de R$ 1,5 bilhão para realização de obras em Fortaleza até 2020

Com investimento de quase R$ 2 bilhões, obras da Linha Leste do Metrô de Fortaleza devem ser concluídas em 4 anos

As intervenções no Parque Rachel de Queiroz, que tem 200 hectares de área, contemplarão limpeza, dragagem, recuperação de mata ciliar e do rio, além da construção do parque urbano com calçadão, ciclovia, área de lazer e pontes para travessia.

Drenagem Riacho Pajeú

Na ocasião, também foi discutido o projeto do novo sistema de drenagem do Riacho Pajeú, que prevê a construção de uma galeria que fará a transposição da bacia hidrográfica dele. O novo sistema auxiliará na captação da água da chuva do Centro até a Praia de Iracema, na região do Poço da Draga. Terá, aproximadamente, 3,5 quilômetros de extensão e é orçado em R$ 50 milhões.

Roberto Cláudio afirma que os trabalhos devem começar até o segundo semestre deste ano. O detalhamento do projeto, explica, deve seguir para licitação no primeiro semestre. Ele prevê a drenagem do Riacho Pajeú, desde o Centro, onde há muitas áreas de alagamentos, como na Avenida Heráclito Graça.

“Também queremos tratar de resolver o problema de contaminação que acontece pelo Riacho Pajeú. Tudo está dentro desse projeto de drenagem que a gente imagina possa estar sendo iniciado até o mês de julho”, disse o prefeito.

Segundo a Prefeitura de Fortaleza, serão construídas 136 bocas de lobo e uma ampla galeria de drenagem para garantir o escoamento da água da chuva de forma eficiente, acabando com pontos críticos de alagamentos, como as avenidas Heráclito Graça e Pessoa Anta. O projeto possibilitará, também, a identificação de possíveis ligações clandestinas de esgoto lançadas na rede existente.

Veja também