Guarda Municipal e AMC fiscalizarão bairros para evitar aglomerações

Por Redação
Guarda Municipal e AMC fiscalizarão bairros para evitar aglomerações
O objetivo é evitar a formação de aglomerações de pessoas e reduzir a transmissão do novo coronavírus, informou o prefeito Roberto Cláudio. (Foto: Reprodução)

Equipes da Guarda Municipal, da Agência de Fiscalização (Agefis), da Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC), da Defesa Civil e agentes comunitários de endemias fiscalizarão, a partir de quarta-feira (8), os bairros da capital onde há mais registros de aglomerações de pessoas. O objetivo, de acordo com o prefeito Roberto Cláudio, é evitar a formação destas e reduzir a transmissão do novo coronavírus.

LEIA MAIS >> Prefeitura de Fortaleza suspende pagamento de imposto para empresas

Prefeitura de Fortaleza lança novo portal com informações sobre o novo coronavírus

O chefe do Executivo municipal informou que as equipes verão se os estabelecimentos comerciais cumprem o decreto do Governo do Estado, que ordenou o fechamento, durante o período de isolamento social, de locais que não oferecem serviços essenciais. Os agentes comunitários também devem orientar moradores sobre o combate à pandemia.

Nas redes sociais, ele também apresentou um mapa da distribuição espacial de Fortaleza mostrando a localização dos 919 casos confirmados de covid-19 em 95 dos 122 bairros da cidade, aproximadamente 80% do território. O prefeito falou ainda sobre a necessidade do isolamento social, explicando que a doença não se restringe a uma área ou faixa de renda específica.

Proliferação

“A doença começou na Regional II e no Centro, onde hoje podemos ver que há uma maior concentração de casos, mas se espalhou por todas as Regionais. Temos a circulação viral em todo o território e essa informação é fundamental para o cumprimento do isolamento social ao qual estamos submetidos”, pontuou.

De acordo com Roberto Cláudio, o isolamento social tem o objetivo de fazer com que a transmissão da doença ocorra de forma mais lenta, com menos ocorrência de casos ao mesmo tempo, considerando que 10 a 20% dos infectados precisam de internamento e 5% necessitam de leitos de terapia intensiva.

Veja também