Projeto conta histórias e comercializa peças de artistas populares brasileiros

Por Bruno Brandão
Projeto conta histórias e comercializa peças de artistas populares brasileiros
>

Desbravar o mundo da arte popular no país e trazer artesãos até então distantes para o mundo virtual, tudo isso movido pelo amor à arte. Esse é um dos objetivos do casal cearense Luciana Eloy e Luiz Duarte, que fez as malas e saiu em busca de conhecer ainda mais da vida e obra dos artistas populares dando forma ao site e e-commerce Popular Arte Brasil.

Luciana Eloy em visita ao ateliê de Espedito Seleiro, em Nova Olinda – (Crédito: Reprodução)

Lançado há pouco mais de um mês, o projeto iniciou com o tema ‘Ceará Popular’. No endereço eletrônico, além de um blog e informações, está hospedado o e-commerce das obras de cinco artistas renomados cearenses: Espedito Seleiro, Dim Brinquedim, Rabelo Jóias do Sertão, Associação Mestre Noza e Maria de Lourdes Cândido. A proposta é valorizar a cultura popular que Luciana e Luiz catalogaram e aumentar o número de artistas parceiros.

O início do projeto, recorda Luciana, teve como motivação a paixão que ela e o marido nutrem pela cultura popular, e o desejo dos casal em levar as obras dos artistas para outros locais, além das fronteiras das regiões onde eles vivem.

“Quando fomos em Quixadá, montar uma exposição que eu estava fazendo curadoria, tudo começou. Começamos a visitar alguns arteãos, observar os objetos e detalhes. Percebemos que, apesar de serem reconhecidos no mundo, em museus e em diversas revistas, eles não podem sair de suas localidades. Dona Maria de Lourdes, por exemplo, tinha sete filhas que trabalhavam com ela, hoje só tem uma. Exceto o mestre Espedito Seleiro, que é reconhecido, embora levou quase 80 anos para ter o seu reconhecimento devido, mas muitos passam por essa dificuldade por não conseguir sair do local de onde eles produzem”, explica Luciana, que é também professora e pesquisadora de arte.

O artista Dim Briquedim com as suas peças – (Crédito: Reprodução)
A Mestre Maria de Lourdes Cândido – ao centro – com a sua família em seu ateliê – (Crédito: Divulgação)

Contando a história de cada artesão, o site vai além da venda, e é também informativo, destacando o valor e a importância de cada peça e artista. Segundo Luiz, que fica responsável pela parte comercial do projeto, a logística para o envio foi pensada com todo cuidado e alinhada com cada participantes.

“O valor que está lá é o oferecido pelo artista em sua oficina. Respeitamos cada um. Eles possuem uma técnica própria de embalagem de envio perfeita. A entrega, a ideia do produto e o envio são feitos com o artista. Nós damos a visibilidade, apresentamos ao mundo inteiro”, ressalta Luiz.

Peças da Associação Mestre Noza, disponíveis no site – (Crédito: Reprodução)
Peças de Antônio Rabelo, que utiliza espinhos xique-xique e mandacaru em suas obras – (Crédito: Reprodução)

Black Friday

Na onda do Black Friday, as peças disponíveis no site também terão descontos especiais entre os dias 29 e 30 de novembro e 1º de dezembro. Serão itens selecionadas com valores já acordados com os artesãos participantes.

Luiz e Luciana com Dim Brinquedim e Ângela – (Crédito: Reprodução)

Novos artistas

O casal já fechou a próxima curadoria. Será com artesãos pernambucanos de cidades como Garanhuns, Igarassu, Tracunhaém e Recife. Entre os contemplados estão os artistas Nicola, Mano de Baé e Abias de Igarassu. A previsão é de que os novos nomes já tenham suas histórias e peças disponíveis no site em fevereiro de 2020.

Veja também