logo

Malala Yousafzai comemora graduação na Universidade de Oxford, na Inglaterra

Por Redação
Malala Yousafzai comemora graduação na Universidade de Oxford, na Inglaterra
Aos 22 anos, ativista paquistanesa, que defende os direitos humanos das mulheres e do acesso à educação, graduou-se em Filosofia, Política e Economia. (Fotos: Reprodução/Instagram)

A ativista paquistanesa Malala Yousafzai publicou nas redes sociais que graduou-se em Filosofia, Política e Economia, na Universidade de Oxford, na Inglaterra. Nas fotos divulgadas na internet, a jovem de 22 anos aparece coberta de tinta e papéis coloridos, e comemorando com a família, com direito a bolo e a balões decorados.

LEIA MAIS >> Alice Wegmann fala sobre como usa a internet para se posicionar na política e no feminismo

Djamila Ribeiro e Tabata Amaral entre as mulheres mais influentes do mundo

“Difícil expressar minha alegria e gratidão nesse momento ao concluir minha graduação em Filosofia, Política e Economia em Oxford. Eu não sei o que está por vir. Por enquanto, será Netflix, ler e dormir”, brincou na legenda das fotos, a ativista paquistanesa símbolo da luta pelos direitos humanos femininos e de acesso à educação que foi a pessoa mais nova a ser laureada com o prêmio Nobel.

Mostrando um bom-humor com a situação pós-formatura, Malala Yousafzai fez um post estilo “check-list” nos Stories do Instagram, em que citou que está “desempregada”, “indo dormir por dias” e que está precisando de novas séries para assistir, pedindo dicas aos 1,3 milhão de seguidores que tem na rede social.

Ela é símbolo da luta pelos direitos humanos femininos e de acesso à educação

História

Malala Yousafzai nasceu em Mingora, cidade do Vale Swat, situada em uma região bastante conservadora do Paquistão. Havia um líder talibã que dominava a região e que, em 2008, ordenou que as escolas interrompessem no período de um mês as aulas dadas para as meninas.

Na época, ela criou o blog intitulado “Diário de uma Estudante Paquistanesa”, no qual, sob um pseudônimo, relatava sobre o amor que tinha pelos estudos, bem como as dificuldades vividas no país. Meses depois, a autora do blog foi revelada, e a menina passou a conceder entrevistas a veículos de comunicação.

Por considerarem que ela seria uma ameaça contra o Islã, Malala Yousafzai passou a sofrer ataques dos talibãs, após eles terem perdido o controle do Vale Swat. Em 2012, aos 15 anos, foi baleada na cabeça quando estava saindo da escola, por manifestar-se contra a proibição dos estudos para as mulheres no Paquistão. Ela foi submetida a uma cirurgia e, logo após, transferida para o Reino Unido, onde recebeu tratamento e se recuperou.

Assista ao trailer do documentário:

Veja também