Gestores do Sistema S no Ceará – que reúne Sesc e Senac (Comércio), Sesi e Senai (Indústria), Sest Senat (Transporte), Senar (Agricultura), Sebrae (Pequenos negócios) e Sescoop (Cooperativas) – se uniram e promoveram, na manhã desta segunda-feira (18), um encontro com parlamentares cearenses para enaltecer a importância e o impacto desses projetos na economia estadual. O evento aconteceu no Senac Reference.

Os responsáveis pelos setores do Sistema S estiveram presentes no encontro

O encontro de gestores aconteceu no cenário de sinalização, por parte do governo federal, de cortes nas verbas destinadas às entidades do Sistema S. Em agosto deste ano, o Ministério da Economia sinalizou um corte de 44%. A medida precisaria de aprovação da Câmara e do Senado mas, até o momento, nenhum corte foi estabelecido.

Atuando em 184 municípios do Ceará, o Sistema S qualificou mais de 200 mil pessoas e gerou mais de 1 milhão de empregos, em 2018. Segundo Ricardo Cavalcante, presidente da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec), a tendência é que o balanço deste ano traga resultados ainda mais expressivos.

“Com certeza em 2019, assim que fechados os dados, serão ainda bem melhores. Queremos fazer a união do Sistema S para que possamos atuar não somente nas grandes cidades, mas em todos os municípios assistidos. Atualmente nossa preocupação maior é que possamos trabalhar em um viés voltado ao empreendedorismo, precisamos dar uma chance a todos os jovens que possam ter o seu próprio negócio”, reforçou Ricardo.

Entre as estatísticas apresentadas pelo Sebrae, o diretor técnico da entidade no Ceará, Alci Porto, destacou o aumento de 20% de Micro Empreendedores Individuais ao ano, o que representa em torno de 33 mil novos empresários. Porto ressaltou, ainda, a expansão das atividades com a ampliação das unidades no interior do Estado.

“Atendemos mais de um milhão de cearenses por ano. Temos uma gama de serviços que são importantes que sejam apresentados aos nossos parlamentares. Estamos integrando as ações, com um plano integrado do Sistema S no Ceará, o primeiro do Brasil, que deverá ser apresentado assim que concluído mostrando que podemos através dessa união fazer a transformação na vida das pessoas”, informou.

O diretor técnico do Sebrae, Alci Porto e o presidente do Sistema Faec, Flávio Saboya

Benefício público

O presidente do Sistema Fecomércio-CE, Maurício Filizola, defendeu a importância da transparência com o que é executado pelo Sistema S, mostrando para a sociedade o peso do impacto de instituições privadas que realizam serviços de finalidade pública, sem fins lucrativos.

De acordo com Filizola, mais de 134 mil empresas e empresários foram atendidos pelo Sistema, representando em um total, em 2018, de 72% de participação na geração de empresas. “Não é só mostrar os números de forma ampliada, mas também uma união para que a gente possa organizar todas as ações no Estado. Queremos trabalhar na área social e na formação, ampliando esse serviço para toda a sociedade”, pontuou Filizola.

Plano em estudo

O diretor técnico do Sebrae, Alci Porto, adiantou ainda a criação do Plano Integrado do Sistema S. “Iremos apresentar, em breve, à sociedade um plano integrado do Sistema S no Ceará. Será o primeiro plano integrado do sistema no Brasil, que iremos detalhar todas as metas e ações unidas. Estamos dando exemplos que podemos através dessa união fazer a transformação na vida das pessoas de forma muito mais intensa e com mais resultados”, detalhou.

Confira mais fotos de Eris Nunes: