O mês de abril tem sido intenso e muito importante para a Conscientização do Autismo. Uma condição que afeta cerca de 38,5 milhões de crianças no Brasil necessita de conversas honestas sobre o assunto, para encerrar o preconceito e levar informações de maneira efetiva para o grande público. E foi pensando nesse compartilhamento que a Associação Pintando o Sete Azul promoveu ciclo de palestras no Shopping Iguatemi Fortaleza, com uma programação repleta de profissionais de renome da área, no Ceará. As psicólogas e diretoras do Neuropsicocentro (NPC), Silviane Andrade e Clarissa Leão, foram destaque apresentando os diferenciais que oferecem na clínica.

Silviane tocou em um ponto muito relevante da conscientização: a profissionalização. Como saber se uma pessoa com autismo tem habilidade para trabalhar? Dentro no NPC, a dupla coordena um projeto que divulga a criação dos selos inclusivos dentro das empresas, treinando equipes para receber profissionais com o transtorno. Interessante fomentar que o paciente passa por uma avaliação neuropsicológica completa, que vai desde a parte cognitva até sua capacitação para ingressar no mercado de trabalho.

Silviane Andrade

Já Clarissa falou sobre as intervenções na socialização de crianças autistas, principalmente a psicomotricidade relacional e os grupos de habilidade social, reiterando os valores de inclui-las dentro de um circuito de situações cotidianas, resultando em melhoras significativas dos pacientes. A conversa seguiu do jeito que deveria: prática, clara e de bastante entendimento.   

Clarissa Leão

Fotos: Alex Campêlo