A Fecomércio-Ce, em parceria com a Universidade de Fortaleza e o Visite Ceará (Fortaleza Convention & Visitors Bureau), apresentou, na manhã desta terça (9), os resultados da pesquisa “Impacto Econômico do Turismo de Eventos Realizados em Fortaleza 2018”.

Como explica a presidente do Visite Ceará, Ivana Bezerra Rangel, os resultados refletem “o impacto econômico dos eventos realizados em Fortaleza através do gasto per capita, os serviços turísticos e a infraestrutura”. De acordo com Circe Jane, presidente do Conselho Empresarial de Turismo e Hospitalidade da Fecomércio-Ce, esta é a maior pesquisa de impacto econômico feita no Estado no âmbito de eventos.

O estudo mostra que, em 2002, o número de eventos registrados chegava a 102, e em 2018, a quantidade alcança o surpreendente número de 2.240 eventos com mais de 300 mil participantes em 12 espaços. A pesquisa identificou que o público médio de turistas desses eventos foi de 70%. A maioria deles é de outras regiões do País (94,4%), enquanto 5,6% pertence a outras nacionalidades.

Ao analisar o Estado onde residiam, verificou-se que os principais mercados emissores de turistas estão concentrados nas regiões Sudeste (35,7%) e Nordeste (27,1%), nessa ordem. Fora do Brasil, os 5 países que apresentaram maior concentração de turistas nos eventos de Fortaleza foram: Argentina, Colômbia, Paraguai, Bolívia e Venezuela.

O gasto total dos turistas que participam de eventos em Fortaleza atinge o valor de R$ 549,6 milhões, sendo o gasto por período de estadia de R$ 2.340,80. O impacto na produção – tudo o que foi gerado e utilizado pelo novo recurso injetado – chega a R$ 1,3 bilhão. O Governo chegou a arrecadar R$ 190,06 milhões através de impostos, taxas ou contribuições, e mais de 47,13 mil empregos formais e informais.

Na foto: Regis Medeiros, Celina Castro Alves, Erick Vasconcelos (secretário executivo da Secretaria de Turismo de Fortaleza), Circe Jane e Suemy Vasconcelos

O tempo de permanência desses turistas na cidade é um fator importante pois influencia diretamente na economia local. De acordo com a pesquisa, em média, eles passam 4,5 pernoites durante o evento e 4,3 pernoites por toda a estadia. Infelizmente, 71,6% não ficaram no Ceará além do período do evento e apenas 28,4% ficaram mais dias.

Quando permanecem na cidade, os turistas de eventos justificam a estadia por questões de lazer (75,3%), trabalho (15,7%) ou lazer e trabalho (9%).

Para Maurício Filizola, presidente da Fecomércio-Ce, através dos dados apresentados no evento, “muitas decisões estratégicas poderão ser tomadas pelas empresas e instituições para fortalecer, cada vez mais, esse grande segmento que é o turismo de eventos, com a relevância que tem hoje no Brasil e no nosso Ceará”.

Os dados foram coletados entre abril e novembro de 2018, envolvendo um total de 3.308 entrevistados em 26 eventos com 23.712 participantes.

Veja fotos de Alex Campêlo: