“Memórias que não escrevi”, nova exposição individual de Sebastião de Paula, é um mergulho ao passado e a uma infância vivida pelo artista no interior do Ceará, mais especificamente na região do Vale do Jaguaribe, entre as décadas de 1960 e 1970. Os aprendizados desse período inspiram as 22 xilogravuras impressas sobre papel que compõem a mostra, que teve abertura na última terça (14), no Museu da Cultura Cearense do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura.

Uma das peculiaridades das obras são as intervenções com stickers, adesivos que dão um caráter urbano às produções. O trabalho, que também marca os 36 anos de carreira de Sebastião de Paula, foi apresentado ao público no mesmo dia do aniversário do artista. Uma maneira de celebrar também suas mais de 100 exposições.

Vimos por lá: Gláucia Andrade, Valéria Andrade, Karísia Pontes e Venúsia Ribeiro

“Memórias que não escrevi” fica aberta para visitação até o dia 28 de julho, de terça a sexta, das 9h às 19h (com acesso até as 18h30); e aos sábados e domingos, das 14h às 21h (com acesso até as 20h30).

Veja fotos de Gessika Ricarte Nunes:

>> LEIA MAIS: Cearense Max Perlingeiro é destaque em premiação da Associação Brasileira de críticos de arte