Márcia Travessoni – Eventos, Lifestyle, Moda, Viagens e mais

Entre em contato conosco!

Anuncie no site

Comercial:

comercial@marciatravessoni.com.br
Telefone: +55 (85) 3242 0333

Redação:

conteudo@marciatravessoni.com.br
conteudo1@marciatravessoni.com.br

Flores secas viram presentes afetivos e décor em eventos e interiores

30 maio 2021 | Living

Por Jacqueline Nóbrega

Influenciadora digital Paulinha Sampaio usa brinco e buquê da Sensorial Fortaleza em ensaio. (Foto: Reprodução/@sensorialfortaleza)

Flores secas têm uma beleza única, evocam memórias afetivas e são curinga na décor por conta da durabilidade maior. A versatilidade delas, no entanto, é imensa. Funcionam como buquê, porta-guardanapo, fivelas de cabelo e ainda podem oferecer um toque especial em embalagens ou na essência de um presente afetivo. 

LEIA MAIS >> Makena Hotel aposta em luxo rústico com piscinas e jardins privativos

Carlise Meinke mostra como utiliza decoração de palha e fibras naturais em casa

Foi o sonho de desidratar as flores do buquê do próprio casamento que levou a dentista Nádia Dantas a ter a primeira experiência com as flores secas. Dessa conexão nasceu a Afetto (@cheiodeafetto), que explora todos os usos das folhagens desidratadas.

“Eu, que tenho como carreira a Odontologia, me redescobri em minhas habilidades manuais ao presentear família e amigos mais íntimos. Com o tempo, houve o estímulo para que isso fosse compartilhado com mais pessoas, e então, me permiti trilhar um novo espaço dentro desse dom. Dom significa presente de Deus, e literalmente, esse novo tempo é uma grata surpresa”, contou Nádia em entrevista ao Site MT. 

Com a pandemia e o consultório fechado, Nádia Dantas investiu no trabalho manual que tanto a encantava (Foto: Arquivo pessoal)

Na Afetto, ela faz desde quadros a cartões personalizados, passando por arranjos em lâmpadas e em garrafas âmbar, tudo utilizando as flores secas. Nádia explica que cada flor tem uma singularidade, por isso os processos de desidratação variam entre simples e complexos. “Algumas flores eu mesma gosto de desidratar, já outras compro desidratadas, pela complexidade que exigem”, revela. 

Quem ganhar um buquê de flores secas, por exemplo, deve ter cuidado ao mantê-lo em casa. A dentista e artesã reforça ser fundamental que ele esteja em ambiente ventilado mas sem incidência solar direta, para evitar que as cores desbotem com o tempo. “Uma dica para protegê-las da umidade é aplicar, mensalmente, spray fixador de cabelo. Anotem esta dica! Ele irá formar uma camada impermeabilizante, oferecendo uma proteção a mais”. 

Nádia reforça que as flores podem ser usadas em diferentes estilos de decoração. “Para algo mais rústico, utilizamos complementos como juta e madeira, já para algo mais sofisticado e elegante, complementos em tons de dourado, prata e vasos mais sofisticados. Um estilo mais industrial pede uma proposta mais aramada preta. Então, as flores secas permeiam diversos mundos, a depender da forma que elas se apresentam”, atesta. 

afetto vaso com flores secas
Na Afetto, Nádia Dantas faz desde quadros a cartões personalizados e arranjos em lâmpadas e em garrafas âmbar, tudo utilizando as flores secas (Foto: Reprodução/ @cheiodeafetto)
Flores secas podem eternizar momentos marcantes em forma de presentes afetivos, segundo as criações da Afetto. (Foto: Reprodução/@cheiodeafetto)

Arte botânica

O biólogo Bruno Flor também faz trabalhos com flores secas no Jardim Seu Flor (@jardimdoseuflor), e desenvolve desde quadros botânicos a cúpulas e garrafas com plantas desidratadas. Até marcas de confeitaria já o procuraram para decorar bolos e doces com as plantas.

Ele conta que no próprio curso de Biologia, ainda na universidade, utilizou técnicas de desidratação e conservação de plantas como tema de estudos acadêmicos. O primeiro pedido para desidratar uma planta foi de uma cliente que queria preservar a flor que ganhou de presente do namorado. 

“Existem várias técnicas de secagem e preservação de folhas e flores. A mais indicada vai depender do que será feito com aquele material e qual planta vai usar. A técnica mais simples e conhecida que todos podem fazer é colocar pétalas e folhas dentro de um livro. Algumas plantas mantêm a cor e a forma, mas outras precisam de técnicas mais elaboradas, até mesmo para manter a cor mais íntegra”, detalha Bruno Flor. 

As plantas desidratadas surgem fortes como tendência em eventos. “Buquês desidratados já estão sendo utilizados em casamentos e até se misturando às composições de flores frescas. Eu gosto bastante da ideia de tanto usar os desidratados como os frescos, são dois mundos que se complementam e têm belezas singulares”, defende o biólogo. 

Para ambientes escuros onde é quase impossível de manter uma planta, os arranjos secos e cúpulas são uma opção criativa e elegante de trazer a natureza para dentro de casa, indica Bruno Flor (Foto: Reprodução/@jardimdoseuflor)
O primeiro pedido de Bruno Flor para desidratar uma planta foi de uma cliente que queria preservar a flor que ganhou de presente do namorado. (Foto: Reprodução/@jardimdoseuflor)

Bruno acrescenta que a utilização das flores secas na decoração e em presentes é uma tendência forte no momento. “Inclusive, existem marcas especializadas apenas em plantas, buquês e arranjos desidratados”. 

O biólogo, no entanto, destaca que precisa existir um conhecimento sobre secagem para apostar no ramo. “Desde o entendimento sobre pigmentos naturais, como quantidade de água nas plantas. Muitas plantas ficaram famosas desidratadas, como eucalipto e lavanda, por liberarem seus óleos essenciais após desidratados, mantendo o ambiente perfumado”. 

Tendência para o Ceará

Mariana Montenegro, da Sensorial Fortaleza (@sensorialfortaleza), começou a apostar nas flores desidratadas ainda em 2018, ao perceber a forte tendência fora do Brasil, e para aproveitar as plantas que sobravam dos eventos e cursos que leciona. “A partir daí comecei a criar as fivelas de cabelo. As flores desidratadas permitem que você faça com antecedência, e que vai durar durante e depois do evento”. 

Mariana Montenegro resolveu apostar nas flores desidratadas ao notar a tendência fora do país (Foto: Arquivo pessoal)

Ela conta que técnica que usa para os produtos da Sensorial, entre arranjos florais, produções, decorações de festa e press kits, é uma das mais simples. “É deixar secar de cabeça para baixo, em um lugar seco e arejado, de três a cinco semanas. Depende muito do modelo da flor. Uma rosa, por exemplo, demora mais tempo que uma folhagem. Você precisar enxugar as hastes das flores, e o melhor é usar a flor mais fresca possível, não deixar murchar”, orienta Mariana. 

Para ela, o item pode ser utilizado em qualquer ocasião, desde um jantar em casa a um aniversário (Foto: Arquivo pessoal)
As fivelas com flores secas foram as primeiras criações de Mariana Montenegro. (Foto: Reprodução/ @sensorialfortaleza)

Ela defende, ainda, que as flores desidratadas podem – e devem – ser utilizadas em qualquer ocasião. “Eu uso em todo canto! Em um jantar, um aniversário, e até em casa sem nenhum evento especial. Penso que é uma tendência que o Brasil todo já aderiu, principalmente porque não é uma coisa que temos que nos preocupar muito com a durabilidade. E é uma flor de verdade. Apesar de não estar mais viva, e sim desidratada e seca, tem uma energia ali dentro diferente das flores de plástico”, argumenta. 

Publicidade

VEJA TAMBÉM

Publicidade

PUBLICIDADE