logo

‘Empatia é o caminho’, diz Camila Salek sobre estratégias no varejo durante a pandemia

Por Tainã Maciel
‘Empatia é o caminho’, diz Camila Salek sobre estratégias no varejo durante a pandemia
Live com Camila Salek, sócia-fundadora da Vimer Experience Merchandising, faz parte da programação do #MinhaCasaExperience (Foto: Divulgação)

Sair de casa para fazer compras tornou-se algo distante na realidade atual. Com estoques cheios, várias marcas buscam estratégias para superar a crise e já visam o futuro. “A aceleração da inovação no varejo” foi o tema da conversa inspiradora entre Camila Salek, sócia-fundadora da Vimer Experience Merchandising, e a publisher do Site MT, Márcia Travessoni, nesta terça-feira (28).

O bate-papo foi transmitido no Instagram em live, com apoio do Hospital Gênesis. A ação faz parte do #MinhaCasaExperience, projeto criado pelo Site MT com conteúdos especiais para o período de isolamento social.

LEIA MAIS >> Marcas alteram lançamento de coleções e datas de liquidações; veja novo calendário

Não comece o e-commerce por aventura ou para atender a necessidade presente, diz Ana Isabel Carvalho

Segundo Camila, referência em visual merchandising, as relações humanas e a preocupação com o próximo é o fator mais importante para o surgimento de novas ideias hoje. “Empatia é o caminho. As marcas devem traçar uma conversa direta e transparente com o consumidor. Se conseguirmos entender a necessidade dele, podemos traçar soluções”, afirma.

Camila também reforçou a importância do conceito de identidade de marca e do posicionamento escolhido neste momento. “Está todo mundo no mesmo mar, vivendo a mesma coisa. Os barcos são diferentes, podem ser navios ou barquinhos, mas cada um tem que avaliar o que é melhor no seu caso”.

Márcia Travessoni conduz live do projeto #MinhaCasaExperience com look Soul Glam e joias Sandra Pinheiro

Sobre as mudanças no setor varejista ocasionadas pela pandemia, Camila aponta dois movimentos interessantes acontecendo. “Sentimos o surgimento de uma força de integração de canais em empresas que não tinham esse foco e, ao mesmo tempo, o período humanizou as marcas que já trabalhavam com digital”.

Ela exemplificou ações que pequenos e grandes negócios estão realizando para superar a crise, como atendimentos por videochamadas e pacotes personalizados de empresas de moda.

Próximo passo

Refletindo sobre o mercado pós-pandemia, Camila aconselha uma postura consciente e estratégica. Quando o retorno das vendas for autorizado, uma abordagem agressiva deve ser descartada. “Não adianta gritar liquidação! Todo mundo estará com muitos produtos estocados. Isso não vai ser um diferencial”.

“O varejo não pode ser um vetor de propagação de doenças e, como marcas, não podemos ser responsáveis por isso”, diz Camila Salek.

Ela orienta uma abordagem com foco na conversa com o consumidor. “Nós vamos sobreviver abrindo as portas quando for a hora certa, mas cuidando do próximo e de nós mesmos. No primeiro momento, nada de experimentações em lojas e espaços ‘instagramáveis’. Será importante a realização de um processo de higienização de roupas mais rigoroso ou até mesmo provadores fechados”.

As previsões de retorno das vendas apontam com otimismo para o fim do ano, quando o sentimento de superação será instaurado pelos consumidores. “A black friday vai representar os três meses de faturamento de muitas marcas. A partir de novembro, vamos estar celebrando. É para isso que a gente está trabalhando”, afirma Camila.

Veja também