Fiec vai atuar na redução do desemprego em 2020, diz Ricardo Cavalcante

Por Jéssica Colaço
Fiec vai atuar na redução do desemprego em 2020, diz Ricardo Cavalcante

Um trabalho conjunto da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec) e o Sistema S deve, em 2020, focar na redução do desemprego especialmente no interior do Estado. “Vamos implementar cada vez mais o empreendedorismo no Ceará, porque esse é o caminho para resolver o problema do desemprego. Vamos treinar, capacitar, dar condições e mostrar o caminho”, adiantou o presidente da Fiec, Ricardo Cavalcante.

Segundo ele, que também é presidente do Conselho Administrativo do Sebrae, a taxa de desemprego, que ficou em 10,9% no segundo trimestre de 2019, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), precisa ser revertida com urgência.

LEIA MAIS >> Fiec lança Atlas Eólico e Solar durante almoço com governador Camilo Santana

Comitiva da Fiec entrega plano para impulsionar economia do Ceará ao presidente da República

Além desse eixo, acrescenta Cavalcante, a internacionalização da indústria cearense será outro grande foco da Fiec em 2020. “Estamos fazendo um trabalho grande na área de comércio exterior, e não nos preocupamos apenas em exportar, mas também em importar os produtos, agregar valor a eles e vender de volta para o mercado”, define o presidente da entidade.

A Zona de Processamento de Exportação (ZPE), instalada no Pecém, já contribui com essa cadeia, que deve ser intensificada no ano que vem. “Queremos que todas as nossas indústrias tenham condições de entender se os preços e produtos delas estão de acordo com o que é formatado no resto do mundo”, explica Ricardo.

PIB positivo

O crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) do País, e consequentemente do Ceará, é colocado pelo industrial como uma certeza que deve trazer bons frutos para a economia. “A projeção é que o PIB nacional cresce entre 2,3% e 2,5%, e o do Ceará deve ser maior, porque somos um Estado com uma situação econômica diferente em relação aos outros”, atesta.

No 3º trimestre de 2019, o PIB do Estado 1,87% em relação ao mesmo período do ano anterior. O percentual ficou acima da média nacional, que foi 1,2% de aumento no período.

Fotos: Marília Camelo

Veja também