Fortaleza receberá prêmio por ações de segurança viária em Estocolmo

Por Jéssica Colaço
Fortaleza receberá prêmio por ações de segurança viária em Estocolmo
Entre 2011 e 2019, Fortaleza reduziu em 50,3% o numero de mortes no trânsito. (Foto: Divulgação/ Prefeitura de Fortaleza)

As ações de segurança viária e incentivo aos modais alternativos de mobilidade urbana implantadas em Fortaleza renderam à capital cearense um prêmio da Associação Norte Americana de Rotas Seguras para a Escola, iniciativa financiada pela FIA Foundation (Fundação da Federação Internacional do Automóvel, em Inglês). A entrega do prêmio acontece no dia 17 de fevereiro, em Estocolmo, na Suécia.

A cidade será representada pelo titular da Secretaria Municipal de Conservação e Serviços Públicas (SCSP), Luiz Alberto Sabóia; e pela secretária da Coordenadoria Especial de Relações Internacionais e Federativas de Fortaleza (Cerif), Patrícia Macêdo.

LEIA MAIS >> Fortaleza é eleita Cidade Criativa pela Unesco

Trecho da Av. Desembargador Moreira terá cinema ao ar livre e armário compartilhado de livros

“Esse é o reconhecimento pelo trabalho de Fortaleza em ações como as ciclofaixas, sistemas de bicicletas compartilhadas, o projeto Cidade da Gente, que delimitou áreas pedestres em regiões como o entorno do Dragão do Mar”, detalha Luiz Alberto. Segundo ele, a premiação valoriza o fato de boa parte dessas ações serem direcionadas principalmente ao público mais jovem.

Conferência global

Ainda em Estocolmo, a comitiva cearense participa de outro evento: a 3ª Conferência Ministerial Global sobre Segurança Rodoviária, promovida pela Organização Mundial de Saúde (OMS). “É uma conferência de alto nível, aberta pelo rei da Suécia, e Fortaleza recebeu o convite para participar porque tem sido apontada como cidade exemplo na América Latina na redução de mortes no trânsito”, salienta o titular da SCSP.

O projeto das bicicletas compartilhadas foi um dos que rendeu o prêmio à capital cearense. (Foto: Divulgação/ Prefeitura de Fortaleza)

Em 2010, a Organização das Nações Unidas (ONU) definiu que todos os países deveriam reduzir em 50% o número de mortes no trânsito ao longo da década. “Até 2014 Fortaleza não tinha avançado nada, mas em 2015 implementamos uma política de segurança viária. Se avaliarmos o período desde 2011, reduzimos em 50,3% o índice de mortes por 100 mil habitantes até 2019, um ano antes do previsto pela ONU”, destaca Sabóia.

A taxa de mortalidade, que era de 14,9 mortes para cada 100 mil habitantes, caiu para 7,4, mas o desafio de diminuir ainda mais segue como prioridade. “Em cidades maiores, esse índice é muito menor”, aponta o secretário.

Meta para a década

Durante a Conferência, que acontece nos dias 19 e 20 de fevereiro, os representantes de Fortaleza devem participar de uma mesa-redonda para debater ações e apresentar resultados. Ainda segundo Luiz Alberto Sabóia, durante o encontro, a ONU deve definir as metas de segurança no trânsito para a próxima década.

LEIA MAIS >> Nos Estados Unidos, Carol Bezerra encontra neta de Nelson Mandela e palestra sobre ações de mobilidade

Veja também