logo

Esporte japonês, gueitebol inspira livro do fotógrafo cearense Márcio Távora

Por Jacqueline Nóbrega
Esporte japonês, gueitebol inspira livro do fotógrafo cearense Márcio Távora
Márcio Távora é cearense, mas já mora em São Paulo, onde mantém um estúdio de fotografia, há mais de 15 anos Foto: Arquivo MT

O fotógrafo cearense Márcio Távora lançou o livro “Gueitebol“, que reúne fotos de idosos de origem japonesa que praticam o esporte gueitebol em solo brasileiro. Ao Site MT, ele contou que começou a pesquisa para o projeto ainda no ano passado, em fevereiro.

“Em uma quadra de terra, tacos e bolas são os equipamentos de um jogo sem muitos esforços físicos, mas que exige muita estratégia. Conheci clubes por toda São Paulo, tomei café da manhã com os jogadores, fiz ginástica japonesa, almocei com eles e finalmente comecei a jogar. Como na maioria dos meus projetos, a vivência com o tema me proporcionou belas imagens, amizades e finalmente a aceitação como a sócio de um clube basicamente formado por japoneses. Essa história saiu em forma de uma publicação, e será parte de uma coleção dos meus garimpos na cidade”, disse.

A escolha pelo tema não foi a toa. O fotógrafo, que já mora há mais de 15 anos em São Paulo, é um grande admirador da cultura japonesa. “Daria para fazer uma coleção só das atividades deles. O meu interesse é muito da estética também. Quando vi os senhores uniformizados jogando ao ar livre em clubes especializados, conversando entre si em japonês, aquilo tudo já me fez pensar no projeto. E mais, na cidade toda, conheci tudo, isso me instiga muito”.

LEIA MAIS >> Junior Achievement: conheça o trabalho da organização que atua desde 2005 no Ceará

Capacete de respiração assistida desenvolvido no Ceará começa a ser testado em hospital

O livro, publicado pela editora Origem, traz, além das fotografias, um texto escrito por Márcio que conta parte da história do gueitebol, além de suas impressões pessoais sobre a prática. O esporte nasceu em 1947 como uma brincadeira divertida paras criança, criado pelo Dr. Eiji Suzuki. Apesar de ter sido pensado para os pequenos, teve boa aceitação pela terceira idade e foi trazido ao Brasil em 1979.

Durante a pesquisa para o livro, no No Ibirapuera Gueitebol Clube, em 2019 Foto: Arquivo pessoal
Capa do livro “Gueitebol”, de Márcio Távora Foto: Reprodução/Facebook

Lançamento

O livro “Gueitebol” era para ter sido oficialmente lançada no Festival de Fotografia de Tiradentes, em Minas Gerais, marcado para acontecer em março desse ano, mas o evento foi cancelado devido a crise de saúde que atravessamos. Márcio, no entanto, diz que está na expectativa para o lançamento presencial, inclusive dentro de um clube no campo de gueitebol. “Meu trabalho e mundo é isso na verdade, falar, ver as pessoas, assinar os livros”. Os planos do fotógrafo para o pós-pandemia, claro, é voltar as ruas para mais garimpos e registros.

Vale destacar que Márcio também é autor de “Livros de Visitas“, publicado em 2013, que reúne imagens de hotéis decadente captadas ao longo de uma década.

Veja também