logo

Parques do Cocó e Botânico são reconhecidos como ‘vitrines’ da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica

Por Redação
Parques do Cocó e Botânico são reconhecidos como ‘vitrines’ da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica

Três Unidades de Conservação (UCs) do estado do Ceará – parques do Cocó e Botânico, além do Refúgio da Vida Silvestre (Revis) Periquito Cara Suja – ganharam, na última terça-feira (26), o título de Posto Avançado do Conselho Nacional da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica (CN-RBMA). O reconhecimento da instituição atesta que os locais são como “vitrines” para o meio ambiente.

Para conseguir o título, é necessário atender duas ou as três funções da RBMA: conservação da biodiversidade; desenvolvimento sustentável; conhecimento científico e tradicional. As três propostas tiveram destaque pelas ações de educação ambiental, turismo ecológico, pesquisas científicas, projeto de florestamento e reflorestamento, gestão sócio-participativa e parcerias firmadas, entre outras.

LEIA MAIS >> Ceará terá livro sobre fauna ameaçada de extinção

Hora do Planeta’ traz o desafio de pensar no meio ambiente pós-pandemia, diz Artur Bruno

Para o secretário do Meio Ambiente do estado, Artur Bruno, trata-se de uma importante vitória do movimento ambientalista local: “a Secretaria do Meio Ambiente (Sema) vem investindo pesado na conservação da nossa flora e fauna. Em 2019, o Ceará foi quem menos desmatou Mata Atlântica entre os 17 estados que têm este bioma”, explicou.

Desmatamento

Após dois anos de queda, desmatamento volta a crescer na Mata Atlântica e aumenta quase 30% na maioria dos estados que contam com o bioma. De acordo com a Sema, no Ceará, diferentemente, os dados são animadores. O desflorestamento no estado, entre 2018 e 2019, representa menos de três hectares, ou seja, zerado. Nos levantamentos de 2016-2017 e 2017-2018, informa a pasta, o estado também apresentou índice zero.

“Uma de nossas diretrizes de trabalho é o reflorestamento e a criação de unidades de conservação. São programas, projetos e ações, inclusive de educação ambiental, fiscalização, com metas, indicadores e prazos, visando à conservação da natureza”, destaca Artur Bruno.

De acordo com Painel CEUC, nos últimos três anos, a Sema criou três UCs, totalizando cerca de 5.5000 hectares de áreas protegidas em Mata Atlântica. São elas: Parque Estadual do Cocó (2017, nos municípios de Fortaleza, Maracanaú, Pacatuba, Itaitinga); Refúgio da Vida Silvestre (Revis) Periquito Cara Suja (2018, Guaramiranga) e Revis Soldadinho do Araripe (2019, Crato).

Veja também