logo

Varejo vai reduzir lucro para diminuir preço no Dia das Crianças, diz diretora da Fecomércio

Por Redação
Varejo vai reduzir lucro para diminuir preço no Dia das Crianças, diz diretora da Fecomércio
Para a diretora institucional da Fecomércio, Cláudia Brilhante, alternativas como comprar presentes mais baratos e passeios em parques temáticos serão adotadas pelos pais no Dia das Crianças. (Foto: Arquivo MT)

Para amenizar a queda nas vendas prevista para o Dia das Crianças neste ano, o varejo cearense vai lançar mão de estratégias como reduzir os lucros para poder abaixar os preços e estimular a compra, segundo aponta a diretora institucional da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Ceará (Fecomércio-CE), Cláudia Brilhante. “Não estamos esperando ter as mesmas vendas ou superar as vendas do ano passado, mas o comércio cearense está preparado com promoções, redução de lucros para que possa reduzir preços e as pessoas possam comprar presentes. Acreditamos que vamos ter uma queda menor que a queda nacional nas vendas”, avalia Cláudia.

LEIA MAIS >>> Pix deve aumentar rentabilidade do varejo, avalia gerente da Fecomércio

Márcia Travessoni lança campanha para criar espaço de leitura em Moitas

Conforme pesquisa da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), divulgada na última terça-feira (6), o comércio brasileiro deve registrar queda de 4,8% nas vendas para o Dia das Crianças, celebrado no dia 12 de outubro. A retração é a primeira desde 2016, quando as vendas no período tiveram redução de 8,1%. Terceira data mais importante para o varejo nacional, ficando atrás apenas do Natal e do Dia das Mães, o Dia das Crianças deve movimentar, em 2020, R$ 6,2 bilhões no comércio do País, segundo a CNC.

“Este ano é atípico por conta da pandemia. Nós sabemos já que vamos ter uma queda nas vendas, mas o cearense é muito criativo e vai encontrar um jeitinho de comprar um presente para o filho. Sorriso de uma criança deixa qualquer pai muito feliz, e para isso os pais vão dar um jeito de comprar o presente, com preço menor. Às vezes, o pai ao invés de comprar um presente de R$ 100, R$ 150, compra três ou quatro presentes de R$ 10, R$ 15 e vai deixar o filho feliz”, ressalta Cláudia Brilhante.

Cláudia Brilhante acredita que o Ceará terá uma queda de vendas menor comparada à nacional. (Foto: Divulgação)

Além do próprio presente em si, a diretora institucional acrescenta que os passeios em parques temáticos e shoppings serão alternativas adotadas pelos pais para celebrar o Dia das Crianças e driblar a crise econômica. “Já foram abertos os parques temáticos, os parques de shopping, o comércio está preparado com promoções e acreditamos, sim, em uma retomada da economia. Inclusive, já começamos a perceber essa retomada, um aquecimento das vendas”, afirma.

Entre os onze itens relacionados ao Dia das Crianças avaliados pela CNC, cinco devem estar mais baratos do que no ano passado: brinquedos (-7,5%), sapato infantil (-5,8%), tênis (-3,1%), roupa infantil (-2,6%) e cinema, teatro e concertos (-0,2%). Os serviços de lanches deverão estar 10,2% mais caros que em 2019, e os livros, 7%.

Apenas o setor de hiper e supermercados tem expectativa de crescimento para data comparado a 2019, e devem movimentar R$ 4,4 bilhões, uma alta de 3,2% em relação ao ano anterior. Brinquedos e eletroeletrônicos devem registrar queda de 2,5% ou R$ 1,3 bilhão.

Black Friday e Natal

Mesmo com a expectativa de queda para o Dia das Crianças, a diretora institucional da Fecomércio acredita que o volume de vendas, em datas importantes para o varejo, deve aumentar até o fim do ano. “Vamos ter aí pela frente a Black Friday, e acreditamos que vamos vender bem durante o Natal, sem dúvida nenhuma. Tem o 13º [salário], que as pessoas sempre reservam aquele percentual para compra de presentes”, comenta Cláudia Brilhante.

“Temos ainda o auxílio emergencial, que mesmo sendo reduzido é uma renda extra, e muitos empregos informais que surgiram durante a pandemia. As pessoas utilizaram a criatividade e estão ganhando dinheiro dentro de casa, com doces gourmet, com artesanatos, com muita coisa, tudo isso vai fazer girar o capital de giro no comércio do Estado do Ceará“, finaliza.

Veja também