Márcia Travessoni – Eventos, Lifestyle, Moda, Viagens e mais

Entre em contato conosco!

Anuncie no site

Comercial:

comercial@marciatravessoni.com.br
Telefone: +55 (85) 3242 0333

Redação:

conteudo@marciatravessoni.com.br
conteudo1@marciatravessoni.com.br

Dirigido por uma mulher, Loki leva gênero fluido para Disney+ e ganha elogios dos fãs

9 jun 2021 | Entretenimento

Por Jacqueline Nóbrega

Tom Hiddleston interpreta o vilão na série da Disney+ (Foto: Divulgação)

A nova série da Disney+, “Loki”, estreou na madrugada desta quarta-feira (9) e terá episódios semanais. A produção, com direção de Kate Herron, traz o ator Tom Hiddleston no papel do vilão, além de Owen Wilson, como Mobius M. Mobius, um chefão da Agência de Variação Temporal. Conhecido como o Deus da Trapaça, o personagem Loki surgiu como antagonista de seu irmão, Thor, e aos poucos encantou o público.

LEIA MAIS >> Cruella: confira os looks mais icônicos do novo filme da Disney

Três vezes em que Sônia Braga surpreendeu pelo talento

No Twitter, “Loki” ficou nos trend topics durante o dia de hoje (9) e recebeu elogios dos fãs do universo Marvel.

“E não é que a Marvel acertou novamente com esse incrível episódio de Loki”, escreveu um fã na rede social. “Tom Hiddleston nasceu para interpretar o Loki! Amei como eles resolveram o fato desse Loki não ser o mesmo de  Thor 2, 3 e Vingadores Guerra Infinita. Marvel sempre impecável”, elogiou outra.

Diversidade

E no mês do orgulho LGBTQIA+, antes da estreia da produção, a Disney divulgou uma imagem da ficha cadastral do Deus da Trapaça em que o campo “sexo” lista o personagem como fluido. A informação também foi celebrada pelos fãs do Universo Cinematográfico Marvel, que já aguardavam essa confirmação que reforça que Loki não adere a definições de masculino ou feminino.

Na ficha de Loki, o campo sexo foi preenchido como fluído (Foto: Divulgação)

Kate Herron, diretora do projeto, aliás, reforça a diversidade na série. “Em Loki, temos diversidade e mulheres em papéis importantes”, disse ela em entrevista à Revista Glamour, pontuando que nunca se sentiu excluída, enquanto diretora, desse universo. 

Ela ainda contou que foi muito bem recebida pelos fãs do vilão. “Acho que as pessoas ficaram intrigadas com o que eu posso trazer por causa do meu trabalho anterior, em Sex Education [ela foi uma das diretoras da série]. Estão curiosas com o resultado, claro, mas muito animadas”.

Publicidade

VEJA TAMBÉM

Publicidade

PUBLICIDADE