Márcia Travessoni – Eventos, Lifestyle, Moda, Viagens e mais

Entre em contato conosco!

Anuncie no site

Comercial:

comercial@marciatravessoni.com.br
Telefone: +55 (85) 3242 0333

Redação:

conteudo@marciatravessoni.com.br
conteudo1@marciatravessoni.com.br

Príncipe Harry e Oprah lançam este mês série sobre saúde mental

10 maio 2021 | Lifestyle

Por Jacqueline Nóbrega

A série de Oprah e príncipe Harry estará disponível na Apple TV+ (Foto: Reprodução/Instagram)

A série “The Me You Can’t See”, concriada e produzida pelo príncipe Harry em parceria com a apresentadora Oprah Winfrey, estreia a partir de 21 de maio na Apple TV+. O programa irá tratar sobre questões de bem-estar e saúde mental, bem como histórias de suas próprias jornadas, e terá convidados famosos, como a atriz Glenn Close e a cantora Lady Gaga

LEIA MAIS >> ‘Você disse coisas muito chocantes aqui’, diz Oprah em entrevista com príncipe Harry e Meghan Markle

Funeral do príncipe Philip é marcado por homenagens e procissão real

“A maioria de nós carrega algum tipo de trauma, perda ou tristeza não resolvida, o que dá a sensação de ser – e é- muito pessoal”, disse Harry, em comunicado, sobre o projeto. 

“Ainda assim, o ano passado nos mostrou que estamos todos juntos nisto, e minha esperança é que esta série mostre que existe poder na vulnerabilidade, conexão na empatia e força na honestidade”, completou.

Famosos como Lady Gaga estão entre os convidados da série (Foto: Divulgação)

Já Oprah reforçou que a proposta de “The Me You Can’t See” é dar início a uma conversa global e substituir a vergonha que cerca a saúde mental pela sabedoria e a compaixão.

Ainda de acordo com a Apple, entre os participantes da série também estarão os jogadores de basquete DeMar DeRozan, do San Antonio Spurs, e Langston Galloway, do Phoenix Suns.

O projeto estreia esse ano, mas foi produzido ao longo dos dois últimos anos. Em entrevista ao “CBS This Morning”, em 2019, Oprah contou que teve reuniões secretas com Harry em Londres para discutirem a série. “Nossa esperança é que tenha um impacto na redução do estigma e permitindo que as pessoas saibam que não estão sozinhas, que as pessoas falem sobre isso e sejam capazes de identificar o problema por si mesma”.

Publicidade

VEJA TAMBÉM

Publicidade

PUBLICIDADE