logo

Como usar o cinza e o amarelo da Pantone na decoração segundo André Monte e Belle Diocleciano

Por Redação
Como usar o cinza e o amarelo da Pantone na decoração segundo André Monte e Belle Diocleciano
Para André Monte, o cinza e o amarelo harmonizam bem, e são cores que ele já costuma usar nos trabalhos. (Foto: Reprodução/Instagram)

Para quem sempre teve vontade de investir em cores na decoração da casa, mas sentia necessidade de um empurrãozinho ou orientação, o ano de 2021 pode indicar a mudança que faltava. A Pantone, empresa norte-americana que costuma pautar as tendências do segmento de cor, definiu o amarelo “Illuminating” e o cinza “Ultimate Gray” como as cores do ano, e a dupla pode dar uma renovada na décor de vários ambientes. O Site MT consultou a arquiteta Belle Diocleciano e o designer de interiores André Monte para indicar a melhor forma de compor e harmonizar o ambiente com as cores escolhidas para este ano.

LEIA MAIS >>> Como montar looks usando o cinza e o amarelo da Pantone

Larissa Proença compartilha ‘achados’ do Centro de Fortaleza

Karmilse e Nicole Marinho apontam como retratam a imensidão do mar dentro de uma janela

O cinza já é bastante presente nos trabalhos de André Monte, que lança mão da cor para harmonizar ambientes, seja em tons mais claros ou escuros. “É uma cor base, extremamente neutra para usar tanto o amarelo quanto outras cores em tons mais quentes e até tons glamourosos. E essa mistura, de cinza e amarelo, permite uma sensação de luminosidade, de alegria. Eles compõem muito bem em um projeto de decoração”, destaca.

(Foto: Arquivo Pessoal/ André Monte)
(Foto: Arquivo Pessoal/ André Monte)

Segundo o designer, o cinza pode ser a base de um ambiente, estando na cor da parede, na cortina, no sofá ou mesmo no piso. “Já o amarelo vem para complementar, criar um ponto de luz, esse elemento luminoso na decoração. Podemos adotá-lo em elementos de decoração, como flores, objetos, peças de vidros e, talvez, uma poltrona, um puff. Acho que funciona muito bem, uma cor casa bem com a outra”, aponta.

Pequenos toques

Para quem quiser menos inserção de cor, mas ainda investir na mudança, a arquiteta Belle Diocleciano sugere apostar em objetos de decoração da cor cinza com mais durabilidade, como estofados, cadeiras e cortinas. “Uma dica para as cortinas é que sejam translúcidas, a cor do tecido influencia na absorção da luz dentro do ambiente, por isso, o cinza é uma ótima opção. Ao usar uma cortina amarela translúcida, o ambiente ficará muito amarelado”, explica.

No caso de tons mais vibrantes, Belle sugere que eles estejam em lugares mais estratégicos, como em um quadro ou em uma pintura de uma parede estratégica. “Se você achar que uma cor como o amarelo vai incomodar, coloque na parede que fique atrás de você, menos visível, pois você poderá colher os benefícios da cor de uma forma mais leve, sem que se esteja olhando diretamente para ela”, destaca.

(Foto: Reprodução/Casa de Valentina – Renato Navarro)
(Foto: Reprodução Planete Deco)

A arquiteta indica, ainda, harmonizar os tons das cores. “Se escolheu um cinza escuro mais frio, continue escolhendo tonalidades mais frias e evite um bege mais quente, dessa forma a sensação de harmonia e conforto visual irá valorizar o ambiente”, pontua.

Mood do ambiente

Tão importante quanto dosar o uso da cor em um ambiente para não correr o risco de ficar datado sob uma tendência é ter cuidado para não exagerar sem estar alinhado com o objetivo daquele espaço. “As cores, além da interferência visual, causam reações cerebrais de ordem física e química no nosso corpo e possuem o poder de modificar o nosso comportamento e nossas emoções. Então, embora a sugestão de cor de ano seja embasada em pesquisas de investigação e de como tal cor vai influenciar as emoções, esses estudos são feitos numa escala global, logo precisamos buscar entender o conceito por trás e adaptá-lo ao nosso estilo de vida e ao momento pelo qual estamos passando”, explica Belle Diocleciano.

Para a arquiteta, as duas cores escolhidas pela Pantone para 2021 são vibrantes e, juntas, destacam o equilíbrio entre a solidez e o otimismo e entre caloridade e neutralidade. “ O ‘Illuminating’ é uma cor alegre que chama atenção, é vista de longe, marca o ambiente e inspira a inovação, a intuição e o dinamismo. Já o ‘Ultimate Gray’ é uma cor neutra, firme, resistente, o que nos remete a estabilidade e moderação”, explica

LEIA AINDA >> Brenda Rolim conta como aproxima a natureza do ambiente doméstico

Valter Costa Lima revela como mudou a relação com a casa e deu novo significado aos cantinhos favoritos

Belle também reforça que as cores escolhidas estão em sintonia com o momento atual. “Elegeram essas cores para serem uma grande influência no nosso ano, existe grandes chances de nos identificarmos de alguma forma. Uma das cores eleitas para 2021 é viva, cítrica, vibrante e calorosa, o que pode ser uma ótima escolha para quem sente que precisa trazer dinamismo para um ambiente, vai poder sentir a influência visual e emocional da cor e ter consequências super positivas”, afirma.  

Na percepção de André Monte, o cinza traz sobriedade, neutralidade e elegância, enquanto o amarelo traz alegria, criatividade e festividade. “A gente sempre lembra da cor de 2020, de 2015, de 2008. Mas, ao mesmo tempo, eu também vejo uma coisa extremamente positiva, que é estar por dentro de uma tendência com uma cor que foi pensada para o momento. Por exemplo, em resposta ao ano de 2020, essas cores ressaltam positividade, ressignificação”, pontua o designer.   

(Foto: Reprodução/ Pinterest)
(Foto: Arquivo Pessoal/André Monte)

Tudo são cores

“Tudo é cor. Planta é cor. Madeira é cor. A vista da janela está cheia de cores. As cores podem ser utilizadas em diversas tonalidades e intensidade. As cores podem ser exploradas em diversos tons, em objetos de decoração e não precisam ser o foco central do ambiente, e sim fazer parte de uma conjunto harmônico que irá deixar o ambiente de acordo com a expectativa sonhada e desejada”, declara Belle.  

Para Belle Diocleciano, tudo são cores. (Foto: Reprodução/ Instagram)

E se o amarelo e o cinza não inspiram você a mudar, e sim outras cores, o início do ano é mais do que propício para colocar o projeto em prática. “Precisamos perder o medo da cor. Se você de fato se identifica com a cor, use-a sem medo. É melhor um sofá todo amarelo do que dez objetos soltos da mesma cor. Aproveitem!”, encoraja a arquiteta.

Veja também