logo

Air Europa retoma trecho Fortaleza-Madri em novembro com nova aeronave

Por Itallo Rocha
Air Europa retoma trecho Fortaleza-Madri em novembro com nova aeronave
Ao Site MT, executivo da companhia aérea informou que a frequência será operada pelo Boeing 787 Dreamliner, que tem a modernidade como um diferencial. (Foto: Claudio Belli/Valor Econômico)

Com foco nos novos modelos de negócio no período de retomada econômica, a Air Europa investiu em novos equipamentos e anunciou que o trecho Fortaleza-Madri, previsto para voltar a operar em 1° de novembro – com duas frequências semanais, aos domingos e às quartas-feiras – terá uma nova aeronave, o Boeing 787 Dreamliner. Ao Site MT, o gerente geral da aérea no Brasil, Gonzalo Romero, informou que a novidade não afetará os preços das tarifas, uma vez que o objetivo da companhia é atrair demanda.

De acordo com o executivo, o Boeing 787 Dreamliner é o mais moderno que há na aviação atualmente, oferecendo uma viagem silenciosa, em que o passageiro quase não consegue ouvir ruídos externos. Além de economizar combustível devido ao peso reduzido, a aeronave consegue ser 20% mais eficiente do que outros aviões do mesmo porte, o que, afirma Gonzalo Romero permite que o passageiro chegue mais descansado ao destino final.

LEIA MAIS >> Beto Studart, presidente do Sistema Fiec, viaja pela Europa com família

Na Europa, Márcia Travessoni revela os lugares preferidos em Amsterdã

No lugar de cortinas de plástico, o Boeing 787 tem um sistema eletrônico que faz o vidro das janelas, que são mais amplas, ficar mais claro ou mais escuro, algo semelhante às lentes fotossensíveis de óculos, que escurecem ou clareiam quando há presença de raios UV. Quem faz os ajustes é a tripulação, que regula a iluminação para aumentar a eficiência do ar-condicionado, principalmente em regiões mais quentes.

“Nosso compromisso com Fortaleza é super forte, e temos a esperança que o mercado responda rapidamente. Hoje em dia, estamos confiantes no Brasil e no Ceará. Queremos voltar em novembro, e estamos fazendo todos esforços para que isso aconteça”, diz o gerente geral da Air Europa no Brasil, destacando que a companhia aérea enxerga no Brasil e no Ceará locais promissores.

Reabertura de fronteiras

O Governo Federal determinou, em portaria publicada em edição extra do Diário Oficial da União (DOU), na última quarta-feira (29), a reabertura das fronteiras do Brasil. Conforme o texto, os passageiros que quiserem entrar no país pelos aeroportos deverão apresentar à companhia aérea um seguro saúde válido no território brasileiro durante a estadia “sob pena de impedimento de entrada em território nacional pela autoridade migratória por provocação da autoridade sanitária”.

Considerando que a retomada econômica da indústria da aviação será lenta e gradual, Gonzalo Romero pontua, baseado nos quatro meses de operações da Air Europa no Ceará – quando a companhia aérea teve bons números de ocupação – que, com a reabertura das fronteiras, a empresa terá uma demanda significativa. No entanto, salienta, ainda não há como traçar quando a Air Europa voltará ao patamar de antes da pandemia, uma vez que é um assunto que depende de fatores externos.

Fluxo de passageiros

Durante a primeira etapa da retomada econômica, ressalta o gerente geral, haverá mais brasileiros na Europa do que o contrário, e, entre janeiro e fevereiro de 2021 será o inverso, quando serão notados mais europeus no Brasil. Evidenciando que o o ano de 2019 foi muito bom para a companhia aérea, que teve um ótimo Market Share (participação de uma empresa no setor que está inserida), ele avalia que o “novo normal será difícil”.

“Segundo a Associação Internacional de Transportes Aéreos (AITA), só voltaremos aos níveis de antes da pandemia em 2022 ou 2023. Temos um grande desafio pela frente, como será o avanço da Covid-19 nos países que estamos, a reabertura das fronteiras onde temos operações. Esperamos que em um futuro próximo consigamos nos recuperar, mas estamos trabalhando para isso, com os pés no chão, esperando a vacina, tentando manter a segurança de todos os passageiros. Estamos nos esforçando para que seja logo, a volta da oferta e da demanda“, garante.

Milhas Smiles

Gonzalo Romero realça que, desde 22 de julho, a Air Europa fortaleceu ainda mais a parceria já firmada com a Gol, incluindo o programa de milhas Smiles, em que os clientes podem acumulá-las e viajar pelas duas companhias aéreas. “Isso é fundamental para nós, e achamos que é importante para o Ceará. Estamos trabalhando em fomentar as tarifas atrativas, com bons descontos, parcelamento em até dez vezes sem juros, segurança, trocas de datas sem penalidades. O objetivo de fomentar a demanda até que elas fiquem mais equilibradas”.

Para o executivo, ainda é difícil prospectar quanto será o faturamento da Air Europa neste ano, uma vez que o setor como um todo foi afetado pela pandemia do novo coronavírus. Em meio ao cenário atual, realça, a empresa terá um lucro bem inferior a 2019, e a ajuda dos governos dos países onde a companhia aérea opera tem sido fundamental para a retomada econômica destas.

LEIA TAMBÉM >> Jeri pretende reconquistar o Turismo até o fim do ano, assegura Ricardo Gusso

Fortaleza é a quinta cidade mais buscada para turismo em família, diz estudo

Medidas preventivas

A Air Europa, explica o gerente geral, está implementando e seguindo as medidas preventivas orientadas pelas autoridades, com o objetivo de evitar a proliferação da doença. Para que não haja tanto contato físico entre passageiros e funcionários, a empresa disponibiliza um aplicativo e um site nos quais são possíveis fazer o check-in, para que a pessoa não fique tanto tempo no aeroporto.

Conforme o executivo, a Air Europa oferece Equipamentos de Proteção Individuais (EPI’s) aos passageiros e aos funcionários e está implementando outras formas de embarque, para maximizar o distanciamento social, sugerindo aos passageiros que despachem a mala de mão – sem custos adicionais – e fique só com uma bolsa e uma mochila. “É mais fácil fazer um controle de Raio-X, da Polícia Federal. Tentamos que os serviços sejam mais rápidos e práticos, sem contato físico, dando a segurança necessária“, assegura Gonzalo Romero.

Veja também