logo

Retornaremos com muito critério, diz Ricardo Cavalcante sobre retomada

Por Redação
Retornaremos com muito critério, diz Ricardo Cavalcante sobre retomada
O presidente da Fiec explicou que a instituição sabe o tamanho da responsabilidade que tem com o estado e entende a importância de garantir empregos, gerar renda e distribuir riqueza nele. (Foto: Divulgação)

Com a divulgação do plano de retomada econômica, nesta quinta-feira (28), pelo governador Camilo Santana, alguns setores da “fase de transição” retornam às atividades na próxima segunda-feira (1°), data em que passa a valer o novo decreto de isolamento social. Na fase de transição, será analisado o comportamento das empresas e da população. De acordo com o presidente da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec), Ricardo Cavalcante, a reabertura será feita com muito critério, seguindo as orientações da Secretaria de Saúde (Sesa).

O presidente destacou que a instituição trabalha incansavelmente para a superação dos desafios trazidos pelo novo coronavírus, visando reduzir os impactos negativos ocasionados pela doença por meio do desenvolvimento e da produção de insumos necessários ao combate à pandemia e, simultaneamente, preparando a indústria para uma retomada econômica.

LEIA MAIS >> Fiec orienta negociação com bancos e de folhas de pagamentos

Campanha da Fiec já arrecadou mais de R$ 11 milhões para combater novo coronavírus

“Sabemos do tamanho da responsabilidade que temos para com o nosso estado. Entendemos a importância de garantir empregos, gerar renda, distribuir riqueza. Mas também sabemos que, somente conseguiremos seguir com esse compromisso, se mantivermos os nossos trabalhadores aptos ao serviço de suas atividades, respeitando todos os protocolos sanitários”, pontuou o gestor.

Veja quais atividades do setor industrial que estão inclusas na Fase de Transição do Plano de Retomada Econômica e os percentuais que foram liberados pelo Governo do Estado nesta etapa:

Indústria química e correlatos (30%)
Indústria de químicos inorgânicos, plástico, borracha, solventes, celulose e papel

Indústria metalmecânica e afins (28,7%)
Fabricação de ferramentas, máquinas, tubos de aço, usinagem, tornearia e solda

Energia (20%)
Construção para barragens e estações de energia elétrica, geradores

Cadeia da construção civil (31%)
Construção de edifícios até 100 operários obra, cadeia produtiva com 30%

Têxteis e roupas (12,4%)
Indústria têxtil, confecções e de redes

Indústria e serviços de apoio (0,8%)
Indústria de artigos de escritório e manutenção industrial. Cabeleireiros, manicures e barbearias

Artigos do lar (16,9%)
Fabricação de eletrodomésticos e artigos domésticos

Móveis e madeira (7,9%)
Fabricação de móveis e produtos de madeira

Artigos de couros e calçados (17,9%)
Fabricação de calçados e produtos de couro

Indústria e serviços de apoio (0,8%)
Indústria de artigos de escritório e manutenção industrial. Cabeleireiros, manicures e barbearias

Artigos do lar (16,9%)
Fabricação de eletrodomésticos e artigos domésticos

Móveis e madeira (7,9%)
Fabricação de móveis e produtos de madeira

Tecnologia da Informação (0,6%)
Fabricação de equipamentos de informática

Automotiva (1,9%)
Indústria de veículos, de transporte e peças

Baixe aqui o Plano Responsável de Abertura das Atividades Econômicas e Comportamentais na íntegra.

Veja também