logo

Dulce Pugliese se torna a mulher mais rica do Brasil pela primeira vez, segundo ranking da Forbes

Por Redação
Dulce Pugliese se torna a mulher mais rica do Brasil pela primeira vez, segundo ranking da Forbes
A cofundadora da rede de assistência médica Amil, Dulce Pugliese, ultrapassou a empresária Luiza Trajano. (Foto: Reprodução/Forbes)

A empresária bilionária Dulce Pugliese, matriarca da família Godoy Bueno, cofundadora da rede de assistência médica Amil e uma das controladoras do grupo de diagnósticos clínicos Dasa, alcançou essa semana o posto de mulher mais rica do Brasil, ultrapassando a presidente do Conselho de Administração do Magazine Luiza, Luiza Trajano. Segundo a Forbes Brasil, esta é a primeira vez que Dulce chega ao topo do ranking feminino brasileiro.

LEIA MAIS >> Forbes lista dez mulheres mais ricas do Brasil em 2020

Cândido Pinheiro é o cearense mais rico em 2020, segundo lista da Forbes

Mesmo em meio às dificuldades econômicas vivenciadas no Brasil em razão da pandemia, entre 6 e 19 de janeiro, apontou a Forbes, as ações da Dasa dispararam 268%, saltando de R$ 74,10 para R$199. Mesmo após uma oscilação e queda na última quarta-feira (20) para R$ 175, os papéis já registram uma breve recuperação ontem (21) fechando a R$ 150. Apesar da oscilação recente, a soma final dos ganhos foi o suficiente para que Dulce Pugliese assumisse a primeira posição, com fortuna de R$ 32,63 bilhões. 

Fortuna

Conhecida como a “bilionária da saúde”, Dulce Pugliese fundou com o ex-marido, Edson de Godoy Bueno, a rede de assistência médica Amil, em 1972. Após a compra da companhia em 2012 pela norte-americana UnitedHealth, a bilionária de formação médica acompanhou o marido na construção da rede de diagnósticos clínicos Dasa, da qual ela controla 48% das ações. Em 2020, a Dasa anunciou a compra de mais duas empresas no segmento da saúde. Além disso, anunciou que estava em avaliação uma nova oferta restrita de ações a fim de arrecadar R$ 4 bilhões e arcar com os custos das aquisições. 

Ranking

Ainda de acordo com a Forbes, na última lista divulgada dos bilionários do mundo, veiculada em abril de 2020, o patrimônio da empresária era de US$ 3,5 milhões, o que representa, portanto, um salto de 74,28% (ou R$ 18,72 milhões), em nove meses. 

Agora, segundo a revista, a bilionária ocupa a sétima posição no ranking dos mais ricos brasileiros. É a segunda colocação mais alta em que uma mulher já chegou na lista nacional. A posição máxima de destaque é de Maria Consuelo Leão Dias Branco, com a sexta posição, em 15 de julho de 2017, com fortuna de R$ 13,25 bilhões.

Todavia, Luiza Trajano se mantém em oitavo com fortuna avaliada em R$ 30,49 bilhões, R$ 2,14 bilhões a menos que Dulce. Justas, as duas mulheres mais ricas do Brasil chegam a uma marca histórica e inédita: figurar no top dez no levantamento da Forbes dos mais ricos do País.

Veja também