Afroflix: conheça a plataforma que reúne produções de artistas negros

Por Redação
Afroflix: conheça a plataforma que reúne produções de artistas negros
O documentário “Mwany” (2013), de Nivaldo Vasconcelos, está no acervo da plataforma (Foto: Divulgação)

Intensos protestos antirracistas e debates acerca do preconceito racial ocorrem há semanas no mundo, lembrando mais uma vez a urgência de potencializarmos as vozes de pessoas negras. Segundo Zelma Madeira, Coordenadoria Especial de Políticas Públicas para Promoção da Igualidade Racial (CEPPIR) do Ceará, “a luta antirracista tem que trabalhar as oportunidades para as pessoas negras“, disse em live com Márcia Travessoni na última terça-feira (23). Apoiar esses profissionais em todos os setores produtivos faz parte dessa ideia. A exemplo da plataforma gratuita Afroflix que valoriza o trabalho audiovisual afro-brasileiro e reúne diversos filmes, séries e documentários.

As produções disponíveis no site preenchem o requisito de contar com pelo menos um profissional negro nos créditos de suas áreas técnica e artística. O resultado são filmes, séries, webséries, programas diversos, vlogs e clipes produzidos, escritos, dirigidos ou protagonizados por pessoas negras.

LEIA MAIS >> ‘Precisamos entender que existe uma história que foi silenciada’, diz Zelma Madeira sobre luta antirracista

‘Pequeno Manual Antirracista’ ocupa primeiro lugar no ranking da Amazon Brasil

A iniciativa é predominantemente feminina. Em 2016, juntaram-se em torno da ideia a cineasta Yasmin Thayná, a jornalista Silvana Bahia, as designers Steffania Paola e Bruna Souza, as pesquisadoras e produtoras Monique Rocco e Erika Candido, com a colaboração do comunicador social Bruno F. Duarte. À exceção de Steffania, que é de Minas Gerais, todos são do Rio de Janeiro.

Yasmin Thayná, cineasta e diretora de Kbela (2015), nunca teve vontade de empreender, mas percebeu que a única forma de ser vista era criar uma plataforma própria para reduzir a desproporção existente na etapa de distribuição da indústria audiovisual para pessoas negras.

A plataforma também está aberta para receber filmes e indicações que se encaixem nas exigências do site. Confira algumas produções disponíveis no Afroflix:

Mwany (2013)

Foto: Divulgação

Produzido sem financiamento, “Mwany” (2013), de Nivaldo Vasconcelos, é protagonizado por Sónia André, uma mulher negra moçambicana, que vive seu dia a dia com a filha, Thandy, e que recria o seu país natal na capital alagoana. O filme assume de forma híbrida a ficção e o documentário, em que ao mesmo tempo que dialoga com um naturalismo ele quebra a compreensão de uma narrativa clássica.

Batalhas (2016)

Foto: Divulgação

O filme original Afroflix com direção de Yasmin Thainá, “Batalhas” fala sobre quando o Teatro Municipal do Rio de Janeiro recebeu, pela primeira vez em toda a sua história, o espetáculo “Na Batalha” que narra a história do funk através de uma dança contemporânea nascida nas favelas cariocas, o passinho. “Naquele dia o Rio experimentou uma manhã mais democrática”, diz a sinopse.

Quintal (2015)

Foto: Divulgação

Com direção e roteiro de André Novais, o filme retrata mais um dia na vida de um casal de idosos da periferia.

Para conferir o catálogo completo ou indicar produções, acesse o site oficial do Afroflix.

Veja também