logo

Quais cuidados devemos ter ao comprar peças de brechó

Por Redação
Quais cuidados devemos ter ao comprar peças de brechó
Verificar botões e fechos, ter cuidado ao lavar e, especialmente, repensar o consumo são dicas da consultora de estilo Mariella Fassanaro. (Foto: Reprodução/Instagram Roxie Vintage Brechó)

Cada peça de roupa conta uma história e tem seu valor afetivo. Porém, muitas pessoas acabam esquecendo um item ou outro no fundo do guarda-roupa, que poderia ser reaproveitado nas mãos de um novo dono por meio dos brechós. Para ajudar quem ama garimpar looks ou deseja economizar nas próximas compras, o Site MT convidou a consultora de imagem e estilo Mariella Fassanaro para falar sobre os cuidados que devemos ter ao adquirir peças de segunda mão.

“Eu sempre aconselho que, além da aparência externa, a gente vire a peça ao avesso e verifique as condições de costura, zíperes, botões e fechos. Tudo precisa estar funcionando ou, se não estiver, tem que haver o compromisso com o reparo, senão vai ser só mais uma peça com potencial, mas que continuará encostada”, orienta.

LEIA MAIS >> E-commerce cearense aposta em peças de luxo seminovas

Brechós em Fortaleza: onde comprar online ou presencialmente

Vivi Almada testa look de influencers e incentiva autoaceitação

Sobre os cuidados na lavagem e manutenção, Mariella lembra a importância da etiqueta, detalhe quase sempre esquecido. “Se a etiqueta ainda estiver lá, o que recomendo é a leitura dela e o cumprimento das instruções. Aqui a máquina de lavar é super vilã: vai acelerar qualquer desgaste. Porém, também é preciso entender e aceitar que algumas peças de brechó podem ter mesmo uma vida útil mais curta – a depender da idade que já têm”.

O Site MT convidou a consultora de imagem e estilo Mariella Fassanaro para falar sobre o mundo dos brechós (Foto: Reprodução/Instagram)

Do ponto de vista da higiene, a consultora diz que não precisa ter nojinho, viu? “Lavou, tá novo! Muitos brechós que conheço são impecáveis nesse aspecto. Para segurança do cliente, alguns lavam com água quente, à mão, às vezes deixam de molho e passam. Não deixam nada a desejar ao cuidado caseiro”, explica.

Mariella Fassanaro fotografou e vestiu modelo para ensaio do Brechó Revival, em Fortaleza (Foto: Reprodução/Instagram)

Mariella ainda dá dicas para quem está pensando em vender algum item do guarda-roupa. “A peça deve estar em condições excelentes de uso, não prestes a ser jogada fora. Recomendo o e-book gratuito, no site da Amazon,”O Guia de doações: o quê, onde e como doar“, de Cris Zanetti e Fê Resende, porque a lógica da doação é a mesma da roupa que vai seguir existindo por meio do brechó”, indica.

“Roupa de brechó não é descarte direto pro lixo. A ideia é fomentar a economia circular com peças boas para uso que só não tem mais cabimento na sua vida, no seu estilo, mas para o outro é aproveitável e viável”,

lembra Mariella Fassanaro.

LEIA TAMBÉM >> DFB Digifest: primeiro dia tem manifesto, valorização do artesanato local e Silvero Pereira na passarela

DFB Digifest: segundo dia tem moda beachwear, peças inspiradas na natureza e desfile coletivo

Além de indicar esse consumo para suas clientes, a consultora não perde um bom garimpo. “Acho que, para além da questão da sustentabilidade, é um dos jeitos de garantir um visual único, de individualizar de verdade e fugir do efeito manada nos looks. Hoje em dia, há quem solicite assessoria para compras exclusiva em brechós. Fazemos um garimpo segundo sua identidade visual pra manter a coerência entre desejos de imagem e mensagem. É uma delícia”.

Veja também