logo

E-commerce cearense aposta em peças de luxo seminovas

Por Redação
E-commerce cearense aposta em peças de luxo seminovas
A empresária Livia Rolim é proprietária do e-commerce Fashion Recycle ao lado da sócia Bruna Nogueira (Foto: Arquivo Pessoal)

A cultura do consumo de roupas de segunda mão, incluindo peças de luxo, já existe há algum tempo, mas a discussão sobre o consumo consciente tornou-se ainda mais necessária com a pandemia. Em Fortaleza, o e-commerce Fashion Recycle trabalha com artigos de luxo seminovos e novos, desde 2015, enviando peças para todo o País. Segundo Lívia Rolim, proprietária ao lado de Bruna Nogueira, as mudanças na economia em 2020, ocasionaram uma demanda crescente pelo consumo de produtos de luxo, em bom estado e com valores acessíveis.

“Além da impossibilidade de viajar para o exterior, a alta do dolar/euro e, consequentemente, a alta dos valores aqui no Brasil, geraram nos consumidores um olhar mais atento e interessado às peças seminovas”, afirma Livia.

LEIA MAIS >> Brechós em Fortaleza: onde comprar online ou presencialmente

Quais cuidados devemos ter ao comprar peças de brechó

Vivi Almada testa look de influencers e incentiva autoaceitação

A compra de peças seminovas pesa menos no bolso e ainda resgata roupas e acessórios que, provavelmente, estavam esquecidos no closet de alguém, mas que não perderam seu valor.

Bruna Nogueira também comanda o Fashion Recycle (Foto: Arquivo Pessoal)

Segundo estudo do Boston Consulting Group (BCG), realizado com 12 mil consumidores em dez países, incluindo o Brasil, as vendas de produtos de luxo de segunda mão vêm crescendo, em média, 12% ao ano em nível global, contra 3% dos produtos novos. “Não é porque você cansou de um produto que ele não pode fazer outra pessoa feliz, não é verdade? É uma reciclagem inversa. No lugar do produto, a gente recicla o consumidor”, diz Lívia.

“O consumo consciente é necessário e precisamos encarar a sustentabilidade de forma mais séria. Na indústria fashion, muito já vinha se falando em amenizar o consumo excessivo de matérias-primas e substituí-las por opções que impactem menos o ambiente “,

reflete Lívia Rolim.
Peça do Fashion Recycle (Foto: Divulgação)

Para quem deseja mergulhar no mundo dos brechós, Lívia orienta dicas importantes. “Conheça marcas que trazem credibilidade e veja referências de seus clientes para comprar um produto autêntico. Também é importante ter um contato mais próximo com o atendimento, pedir fotos e vídeos. Não tenha vergonha de pedir todos os detalhes e informações necessárias para você se sentir segura com a compra”.

Peça do Fashion Recycle (Foto: Divulgação)

Com parte do acervo alimentada por amigas fornecedoras, o Fashion Recycle recebe peças de luxo com alguns critérios. “É importante enviar a peça completa, com os itens disponíveis (dust bag, caixa, cartões e nota fiscal). Também ter o cuidado ao higienizar a peça antes do envio, principalmente se estiver guardada há um tempo”, orienta Lívia.

LEIA TAMBÉM >> DFB Digifest: primeiro dia tem manifesto, valorização do artesanato local e Silvero Pereira na passarela

DFB Digifest: segundo dia tem moda beachwear, peças inspiradas na natureza e desfile coletivo

Pensando em solidariedade, em junho, a marca iniciou o “Let’s Share Love“, projeto onde clientes doam peças e 100% da receita com as vendas é destinada ao projeto Auê do Amor. “Dessa forma, a gente consegue unir duas coisas muito importantes: propagar o consumo consciente e ajudar pessoas que encontram-se em situação de vulnerabilidade”, conta. Para mais informações, acesse o site do Fashion Recycle.

Veja também