Márcia Travessoni – Eventos, Lifestyle, Moda, Viagens e mais

Entre em contato conosco!

Anuncie no site

Comercial:

comercial@marciatravessoni.com.br
Telefone: +55 (85) 3242 0333

Redação:

conteudo@marciatravessoni.com.br
conteudo1@marciatravessoni.com.br

Comércio propõe abertura gradual ao Governo do Estado a partir da próxima semana

15 mar 2021 | Notícias

Por Redação

A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Ceará (Fecomércio) se antecipou ao fim do atual decreto de lockdown no Ceará, esperado para a próxima semana, e apresentou um plano de retomada das atividades para ter início a partir da semana que vem. O documento, enviado ao Governo do Estado e à Prefeitura de Fortaleza, traz horários escalonados para as áreas de maior atividade comercial como o centro, shoppings, lojas de rua em geral e restaurantes fora dos shoppings.

LEIA MAIS >> Elias Leite comenta vídeos virais sobre Covid e mensagens positivas nas redes sociais

Ceará quer aumentar relações com a China, diz vice-presidente da Fiec

A proposta, na verdade, é uma atualização do plano proposto em maio de 2020. Na época, o Ceará também passava por um período de isolamento social rígido. Segundo o documento, em 14 dias deve-se iniciar a flexibilização e a abertura das atividades do comércio e serviços, com o contingente de 50% dos trabalhadores dos setores contemplados e rigidez na aplicação dos protocolos sanitários. 

Além disso, cobra um rigor maior sobre o comércio informal, apontados como focos de aglomerações e aumento do número de casos. E aponta os horários de deslocamento dos funcionários dos setores a fim de aliviar os picos de fluxo de usuários  no transporte público – apontado como um dos problemas de gestão da pandemia pelo governo -, escalonando horário de abertura dos estabelecimentos. Confira os horários! 

Pesquisa

Além de apresentar um plano de retomada econômica das atividades, a Fecomércio, através do Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento do Ceará (IPDC), apresentou uma pesquisa de opinião, realizada entre os dias 7 e 8 de março, com 535 empresários sobre o posicionamento das empresas em relação ao funcionamento diante da pandemia no Estado. O estudo objetiva levantar qual a influência da abertura do comércio para o aumento no número de casos da Covid-19 no Ceará. 

De acordo com o levantamento, 54% dos entrevistados informaram que não houve funcionário infectado por coronavírus nos seus estabelecimentos. Além disso, a análise aponta que 97% dos empresários afirmaram não ter havido ocorrência de óbito por Coronavírus nas suas empresas. Ao todo, considerando o universo de 34.131 colaboradores das empresas pesquisadas, 1.912 relataram casos de infecção e a soma dos casos que foram a óbito foi de 23.

Medidas

Além disso, para garantir a baixa contaminação entre os funcionários, 85% das empresas adaptaram o horário de atendimento para enfrentar a pandemia. Dentre as medidas adotadas foram citadas:  regulação do limite de pessoas dentro dos estabelecimentos, 39%; restrição no horário de funcionamento, 31%; diminuição do quadro funcional, 14%; e revezamento dos funcionários por turno/dia, 8%.

LEIA TAMBÉM >> Camilo Santana visita laboratório para negociar vacina em Brasília

Camilo Santana encaminha projeto de cota para negros em concurso estaduais 

De acordo com o presidente do Sistema Fecomércio Ceará, Maurício Filizola, o resultado da pesquisa comprova que o funcionamento do comércio formal não influencia para o aumento do número de casos, informando ainda que as empresas estão tomando todas as providências de proteção para colaboradores e clientes, e para evitar aglomerações.

“A abertura do comércio formal não foi o motivo do crescimento acelerado da quantidade de casos da doença em nosso Estado. Desde o momento da retomada, o comércio investiu e cumpre rigorosamente todos os protocolos para um funcionamento seguro de suas atividades”, pondera.

Publicidade

VEJA TAMBÉM

Publicidade

PUBLICIDADE