Para Cláudio Nelson, Israel simboliza muito mais que um ponto no mapa. O país, localizado no continente asiático, é refúgio de milênios de histórias de fé e espiritualidade. Nos últimos dias, o cearense teve a chance de conhecer a nação pela primeira vez e compartilhou com o site MT Galeria todas as suas impressões.

Católico por batismo e um devoto da história da humanidade, Nelson revela que essa foi a melhor viagem de sua vida. “Foi um sonho realizado. País lindo demais e cheio de história”. No primeiro dia em Israel, ele deu um passeio rápido pelas cidades de Haifa, a maior do norte israelense, e Cesareia, localizada no litoral mediterrâneo.

Ruínas de Massada

No dia seguinte, foi a vez de visitar as ruínas da fortaleza de Massada, no caminho para o Mar Morto. O local, no meio do deserto da Judeia, é um símbolo da resistência do povo judeu à ocupação romana. Lá, os judeus preferiram se sacrificar ao invés de se entregar a cidade aos romanos.

Boiando nas águas verdejantes do Mar Morto

Após o passeio, uma pequena pausa para mergulhar no Mar Morto. “A experiência do Mar Morto é incrível e inesquecível. Mas não se engane, lá você não relaxa, a água é extremamente salgada e arde nos olhos”, compartilha Nelson.

A próxima parada foi Jerusalém, cidade santa para muitas religiões. Lá, o cearense refez o percurso da Via Sacra, o mesmo caminho que Jesus teria feito carregando a cruz. O trajeto abrangeria, segundo as escrituras bíblicas, desde o Pretório de Pôncio Pilatos até o Monte Calvário.

“Eu que sou católico me emocionei em diversos momentos. Você fazer a via sacra é indescritível. Ver de perto o mesmo local em que Jesus sofreu por nós… Nos deixa muito reflexivo e agradecido”, detalha.

Cearense também tomou banho no Rio Jordão, onde Jesus teria sido batizado

>> LEIA TAMBÉM: Cinco curiosidades sobre a Turquia que aprendemos com o influencer Luiz Victor Torres

Já em Tel Aviv, cidade extremamente cosmopolita, Nelson embarcou em um roteiro eclético e mais tranquilo. Se impressionou com o fantástico contraste entre as construções antigas e modernas. E ainda teve a chance de presenciar um dos pores do sol mais incríveis de sua vida em Jaffa, cidade portuária incorporada a Tel Aviv em 1950. “Onde o sol parece tocar o mar”, descreve.

Ver essa foto no Instagram

“An ancient legend holds that anyone boarding the bridge, hold its zodiac sign and looks at the sea – their wish will come true.” 🇮🇱 🦂

Uma publicação compartilhada por CN (@claudionelson) em

A noite de Tel Aviv também marcou a viagem de Cláudio Nelson. “Simplesmente bomba a cidade, principalmente para aqueles que gostam de um som de qualidade e da vida noturna. A gastronomia é incrível também”.

Além de atuar como coordenador adjunto da Coordenadoria Especial de Relações Internacionais e Federativas (Cerif) da Prefeitura de Fortaleza, Nelson trabalha na área de eventos e confessou que vai “trazer várias ideias bacanas da night de Tel Aviv para Fortaleza”.

Fotos: Reprodução/Instagram